PUBLICIDADE

Após 12 dias, bolivianos retidos na fronteira seguiram viagem

Leonardo Cabral em 25 de Junho de 2020

Foto enviada ao Diário Corumbaense

Bolivianos foram autorizados a seguir viagem no final da tarde de ontem (24)

Após 12 dias dormindo em uma tenda montada na linha de fronteira, onde três deles, tiveram que permanecer sob a ponte que separa o limite territorial entre Brasil e Bolívia, o grupo de 41 bolivianos, finalmente foi autorizado a seguir viagem. Eles estavam impedidos de entrar no país vizinho, quando chegaram no dia 12 de junho, vindos de São Paulo, por causa das medidas de prevenção ao coronavírus.

A autorização para seguir viagem, mesmo com eles dormindo em tendas na fronteira entre os dois países, saiu no final da tarde de quarta-feira, 24 de junho, quando o grupo partiu com destino a diferentes cidades, entre elas, Santa Cruz de La Sierra, Cochabamba, La Paz e Oruro.

Ao Diário Corumbaense foi informado que o grupo permaneceu no local, onde foi feito o monitoramento médico diário, enquanto aguardava autorização do governo nacional, para poder entrar no país. Antes mesmo do embarque, equipes de Saúde realizaram procedimentos rotineiros, e o grupo conseguiu dar baixa na documentação no Posto Migratório do lado boliviano e embarcaram em dois ônibus com destino às cidades de origem.

A chegada em Corumbá

O grupo faz parte dos estrangeiros que foram flagrados no último dia 12 de junho, pela equipe da Coordenadoria de Fiscalização de Posturas, Guarda Municipal, Agetrat e Polícia Militar, desembarcando de maneira irregular no assentamento Urucum, às margens da BR-262, área rural de Corumbá. Eles foram levados até a fronteira onde permaneceram desde então.

No município de Corumbá, o embarque e desembarque de passageiros está proibido. Já na fronteira, os bolivianos foram impedidos de seguir viagem, porque o grupo veio de maneira irregular, não cumprindo requisitos para ingressar em território nacional, conforme determina o decreto do governo nacional, assinado pela presidente interina, Jeanine Añez, desde o fechamento de fronteiras. 

Anderson Gallo/ Diário Corumbaense

Grupo com 41 bolivianos permaneceu duas semanas na linha internacional de fronteira

Conforme o decreto nacional, todas as pessoas devem cumprir o que está estabelecido, como portar o certificado de que não estão infectados pela covid-19, documentação regular mediante o Consulado e o passaporte correspondente para que sejam apesentados ao setor de Migração, na fronteira. Uma vez apresentados esses documentos, eles vão passar pelos protocolos de saúde também e, então, liberados para entrar na Bolívia, após cumprimento de quarentena.

Fronteiras fechadas

As fronteiras do Brasil e da Bolívia, permanecem fechadas, conforme determinação dos governos federais. A medida está em vigor desde março.

Do lado boliviano, seguindo o decreto e Emergência Sanitária, ninguém entra e nem sai do país. Só é permitido o ingresso de bolivianos repatriados de outras nações que estejam portando documentação correta. O setor de transporte pesado também pode cruzar o limite entre os dos países para que não haja desabastecimento.

No Brasil, o decreto proíbe a entrada de estrangeiros. Apenas é permitida a entrada do setor de transporte pesado, de brasileiros repatriados, e em circunstâncias especiais determinadas no documento.

PUBLICIDADE