PUBLICIDADE

Governador convoca 260 concursados para formação da Polícia Civil

Portal de Notícias de MS em 07 de Fevereiro de 2020

Após três anos de disputa judicial, Mato Grosso do Sul deu continuidade ao concurso da Polícia Civil de 2017 e o governador Reinaldo Azambuja anunciou, nesta sexta-feira (07), a convocação de 120 pessoas para o curso de formação de investigadores e 140 para o de escrivães.

“Conseguimos depois de um longo debate e de uma judicialização culminar no dia de hoje e anunciarmos a ampliação das vagas porque nós tínhamos 80 agentes e 100 escrivães e hoje nós estamos autorizando 120 agentes e 140 escrivães que vão entrar para o curso de formação”, disse o governador.

O certame havia sido suspenso pela Justiça após contestação da prova prática de digitação. Depois de longo processo, o Judiciário autorizou a retomada do processo para contratação dos agentes da Polícia Civil, para o quadro de pessoal permanente da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

Reinaldo Azambuja destacou ainda os resultados alcançados pela Polícia Civil e pelas demais forças de segurança de Mato Grosso do Sul. “A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul é reconhecida nacionalmente como aquela que tem tido o melhor resultado no País. E essa integração das forças de segurança traz os resultados: temos a maior população carcerária, talvez do mundo. O país que mais apreende é os Estados Unidos, com 657 presos para cada 100 mil habitantes, e Mato Grosso do Sul tem muito mais do que isso”.

Para o presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), Giancarlo Corrêa Miranda, o chamamento dos concursados é uma conquista que vai ajudar no trabalho das delegacias. “A convocação nos ajuda. É uma reivindicação importante que está sendo atendida. Esperamos que o restante também seja convocado”, disse.

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antonio Carlos Videira, destacou que, em média, a Polícia Civil esclarece 70% dos homicídios – muito mais que os outros estados. Ele lembrou ainda que as forças de segurança do Estado são as mais que apreendem drogas no País.

PUBLICIDADE