PUBLICIDADE

Centro de Reabilitação monta grande estrutura para levar onça doente ao hospital

Portal de Notícias de MS em 06 de Novembro de 2019

João Prestes/Semagro

Animal já no hospital veterinário da UCDB

Equipe de quinze pessoas – entre médicos veterinários, enfermeiros e acadêmicos – foram mobilizados na última segunda-feira (04) para levar uma onça parda do CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) ao Hospital Veterinário da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), onde passou por uma bateria de exames que determinaram o motivo de ter apresentado súbita perda de peso nos últimos dias. Enquanto um grupo ajudava no transporte do animal – já devidamente sedado – outro aguardava a chegada do paciente no hospital.

Só o processo de sedação – o medicamento foi injetado por meio de dardos lançados por uma zarabatana – demorou cerca de 90 minutos. Foi preciso aplicar duas doses de tranquilizante. O trabalho começou às 14h e só às 15h30 o felino foi retirado da jaula e colocado em uma caixa de madeira para seguir ao hospital, completamente sedado. O presidente do CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária), Rodrigo Piva, acompanhou todos os procedimentos.

João Prestes/Semagro

Onça apresentou perda excessiva de peso

Segundo o médico veterinário do CRAS Lucas Cazati, responsável pela operação, a onça parda tem 5 anos de idade. É uma fêmea e chegou ao Centro ainda pequena. Nos últimos dias tem se alimentado pouco e, consequentemente, perdeu muito peso. Pela idade poderia pesar até 60 quilos, mas está com apenas 28. Se não fosse tratada rapidamente, poderia morrer.

Entre as muitas possíveis causas do repentino emagrecimento, Cazati suspeitava de problemas dentários, neoplasia, problemas endócrinos ou hemoparasitose. Para tanto, o CRAS solicitou apoio do Hospital Veterinário da UCDB, que tem prestado atendimento aos animais em reabilitação sem custo. A onça passou por exames de raio-x do tórax, da arcada dentária, ultrassom abdominal e exames laboratoriais de hemograma completo com pesquisa de hematozoários, bioquímico hepático e função renal. O animal deu entrada no hospital às 16h e só às 20h foi levada novamente ao CRAS. Os resultados dos exames saíram na tarde da terça-feira (05).

“Os exames revelaram que ela tem dentes sobrepostos e também está com hemoparasitose. Vamos entrar imediatamente com o tratamento à base de antibióticos e anti-inflamatórios. Se o emagrecimento for consequência da hemoparasitose, logo teremos resultados positivos. Se ela continuar recusando alimentação, vamos ter que fazer o tratamento dentário”, disse Cazati.

PUBLICIDADE