PUBLICIDADE

Mulher é presa com cápsulas de cocaína em SP; ônibus em que viajava saiu de Puerto Suárez

Leonardo Cabral em 20 de Agosto de 2019

Divulgação/Polícia Rodoviária

Cápsulas expelidas pela mulher presa em SP

Mulher que não teve o nome, idade e nacionalidade informados, foi presa após confessar que havia engolido cápsulas de cocaína. A prisão dela aconteceu no último dia 18 de agosto, durante abordagem a um ônibus na Rodovia Castello Branco, em Itu (SP) em uma operação militar contra o narcotráfico na rodovia.

A mulher estava dentro do veículo que fazia linha Bolívia/Rio de Janeiro. Durante a abordagem, os policiais observaram que a autora estava pálida e demonstrou desconforto ao ver a equipe.

Durante a revista, os policiais encontraram algumas cápsulas que aparentavam ser de cocaína. Indagada, ela confessou que havia ingerido outras dezenas de cápsulas da droga na cidade boliviana de Puerto Suárez e que iria expeli-las em São Paulo para entrega, mas que durante o percurso acabou expelindo algumas cápsulas, segundo informou o G1 Sorocaba e Jundiaí.

A mulher foi encaminhada ao Hospital Regional de Sorocaba (SP) para expelir o restante da droga. 

Casos em Corumbá

Em menos de um mês, em Corumbá, uma menor foi apreendida e uma mulher foi presa após terem engolido cápsulas de cocaína. Ao todo, 95 cápsulas foram apreendidas na região de fronteira. 

Divulgação

Menor foi detida no Terminal Rodoviário de Corumbá

O primeiro caso aconteceu no dia 26 de julho, quando uma adolescente de 15 anos foi apreendida, após confessar ter engolido 45 cápsulas de cocaína. Ela foi abordada no Terminal Rodoviário, tentando embarcar em um ônibus de viagem com destino a Campo Grande, quando foi detida após denúncia anônima pela equipe da Força Tática da Polícia Militar. 

O segundo caso, ocorreu nesta segunda-feira, 19 de agosto, quando policiais rodoviários federais prenderam uma mulher de 24 anos. Ela era passageira de um ônibus que fazia o itinerário Corumbá/Campo Grande e se mostrou nervosa com a abordagem, levantando suspeitas dos agentes de que poderia estar transportando droga em seu estômago. Ela foi levada para a Santa Casa de Corumbá, onde exame de raio-x confirmou a presença de cerca de 50 cápsulas de cocaína.

Segundo a PRF, ela contou que foi paga para levar o entorpecente até Roma, na Itália, mas não revelou quanto recebeu pelo "serviço". 

PUBLICIDADE