PUBLICIDADE

Ministro ignora lista tríplice e nomeia pedagoga como reitora da UFGD

Campo Grande News em 11 de Junho de 2019

Reprodução

Mirlene Damázio foi nomeada como reitora pro tempore da UFGD

A pedagoga Mirlene Ferreira Macedo Damázio foi nomeada como reitora pro tempore (temporária) da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), que tem sede na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, a 233 km de Campo Grande. A nomeação foi assinada pelo ministro da Educação Abraham Weintraub.

Professora do curso de Pedagogia da UFGD, Mirlene não participou da consulta prévia feita neste ano entre professores, administrativos e acadêmicos da universidade, nem colocou seu nome à disposição do Colégio Eleitoral para elaboração da lista tríplice.

A lista composta pelos professores Etienne Biasotto, Jones Dari Goettert e Antônio Dari Ramos, foi enviada a Brasília em março, mas em seguida devolvida pelo Ministério da Educação, que apontou irregularidade na definição dos nomes.

No início de maio, a 1ª Vara Federal em Dourados acatou pedido do MPF (Ministério Público Federal) e determinou a suspensão da lista tríplice. Entretanto, duas semanas depois a Justiça Federal revogou a liminar.

A reportagem apurou que embora tenha trabalhado na gestão da atual reitora Liane Calarge, a professora Mirlene Damázio apoiou a chapa de oposição UFGD em Ação, liderada pelo professor Joelson Pereira, que ficou em terceiro lugar na consulta prévia, com 18,66% dos votos.

Joelson Pereira é ligado ao PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro. O grupo ligado a Joelson é conhecido na UFGD por manifestações em defesa do atual presidente e contra o Partido dos Trabalhadores.

Na prática, o governo federal não precisa seguir as indicações feitas pelas universidades e pode nomear como reitor qualquer professor-doutor do magistério federal, inclusive de outra instituição do mesmo nível.

Afastada 

A reportagem apurou também que atualmente Mirlene Damázio está oficialmente afastada da UFGD. No dia 21 de maio deste ano foi publicada uma instrução de serviço assinada pelo chefe de gabinete da reitoria, Vagno Nunes de Oliveira, autorizando o afastamento da professora de 11 a 15 deste mês para participar da visita técnica sobre acessibilidade, inclusão e ensino especializado, em São Paulo.

PUBLICIDADE