PUBLICIDADE

Presa dupla que falsificou RG de major assassinado em Bonito

Campo Grande News em 06 de Maio de 2019

Reprodução/Facebook

Major foi morto a facadas na noite do dia 14 de abril em Bonito

Policiais do GOI (Grupo de Operações e Investigações) prenderam na noite de ontem (05) dois estelionatários que vendiam documentos falsos em Campo Grande. Eles teriam fornecido a Ezio Miranda Fernandes, 52 anos, o RG falsificado no nome do major da reserva do Exército, Paulo Settervall, 57 anos, que foi assassinado a facadas no dia 14 de abril em Bonito, cidade distante a 257 quilômetros da Capital.

Segundo informações do boletim de ocorrência, quando foi preso tentando comprar uma motocicleta usando o RG falsificado no nome do major, no dia 23 do mês passado, Ezio relatou à polícia que o responsável pelo fornecimento do documento era Ewerton Bruno Prado Melo de Almeida, 25 anos.

Ontem, policiais do GOI foram até o apartamento de Ewerton, na Avenida Tamandaré, e localizaram o suspeito em uma rua na lateral do condomínio. No carro do suspeito, um VW Golf, foram encontrados documentos falsificados em nome de terceiros, além de R$ 879 em dinheiro e três chips de celular.

À polícia, Ewerton revelou que falsificava os documentos alterando as fotos e que eles eram utilizados para comprar carros e outros produtos em nome das vítimas. Depois, essas mercadorias eram vendidas.

Durante buscas no apartamento do estelionatário, a polícia encontrou mais documentos falsificados e identificou Alisson Magalhães dos Santos, 24 anos, conhecido como 'Playboy', como comparsa de Ewerton. Os policiais foram até a casa do suspeito, mas a mãe do rapaz se negou a abrir o portão. Depois de alguns minutos, os policiais conseguiram entrar na casa e Alisson foi preso. Em um fundo falso no armário, foram encontrados um celular e R$ 2,4 mil em dinheiro.

Contra Ewerton havia um mandado de prisão em aberto por estelionato. Além de falsificar os documentos, o suspeito também aplicava golpes usando chips de celular, cadastrando as linhas nos nomes das vítimas.

Ewerton e Alisson foram presos por estelionato e associação criminosa. A dupla foi encaminhada para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro.

PUBLICIDADE