PUBLICIDADE

Corumbá passa a contar com laboratório especializado na análise de drogas

Leonardo Cabral em 03 de Maio de 2019

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Além de analisar drogas apreendidas, laboratório também poderá atuar em casos de estupro, identificação de sangue em objetos e outros

Após pouco mais de 15 anos de reivindicação, Corumbá passará a contar com um laboratório especializado na análise e identificação de substâncias entorpecentes. A decisão é vista como uma conquista essencial no combate ao tráfico de drogas, ainda mais pelo fato de a cidade estar situada geograficamente ao lado de um dos principais polos fornecedores de drogas na América do Sul; a Bolívia.

Os traficantes estão “inovando” os métodos para enganar a fiscalização, como por exemplo, a utilização de embalagens de iogurte e até mesmo dentro de batatas. E para tentar combater esses crimes, o laboratório será responsável por emitir laudos definitivos com intuito de acelerar todo o processo de julgamento nos casos relacionados a apreensão entorpecentes, fazendo com que haja celeridade nos processos. Em Mato Grosso do Sul, hoje, a análise da droga apreendida é feita em Campo Grande e Dourados.

“Não será necessário que o material apreendido seja enviado até Campo Grande, para que seja analisado ou periciado. Todo esse processo considerado postergador do resultado dos exames tardios, será feito aqui mesmo na cidade, graças à implantação do laboratório”, explicou a coordenadora regional de Perícia e Identificação, Glauce Mello.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Coordenadora regional de Perícia e Identificação, Glauce Mello

Ela ainda salientou que o laboratório foi estruturado e implantado graças ao Consecol (Conselho de Segurança de Corumbá e Ladário) que, por meio de termos de ajustes de conduta pelo Ministério Público, verbas foram destinadas para que o laboratório fosse realidade na cidade, desde sua estruturação, compra de outros equipamentos que permitirão a realização de outros exames também importantes para a criminalística, como constatação de espermatozoides em material de vítima de estupro, identificação de sangue em objetos e materiais utilizados no exame toxicológico das drogas.

Para o farmacêutico e responsável técnico pelo laboratório, Sebastião Renato da Costa Oliveira, o novo local tem significativa importância tanto no aspecto de análises de droga como no judiciário, fornecendo parcerias com instituições de ensino para estágios teóricos e práticos.

“Para que tenhamos o princípio fundamental da robustez de um laudo, temos que ter a cadeia de custódia, que é o registro histórico e cronológico desde o momento que se coleta a amostra com técnica adequada até a emissão de um laudo feito de forma segura, ou seja, é a proteção daquele vestígio que você coletou até a emissão do laudo que tem que ser segura, representando a verdade para os operadores de direito”, explicou Sebastião se referindo à instalação do laboratório em Corumbá.

Ainda segundo ele, para que tudo ocorra de forma correta, ele passará por um alinhamento de padronização de procedimentos e emissão de laudos em Campo Grande no Ialf (Instituto de Análises Laboratoriais Forenses).

Ativação dia 06 de maio

Uma vez implantado, a ativação do laboratório será no dia 06 de maio, conforme portaria publicada no Diário Oficial do Estado do dia 22 de abril. Entre as atribuições, a nova unidade poderá realizar exame toxicológico definitivo em drogas proscritas como maconha, haxixe, Skank, óleo de maconha, pasta base, coca base, cocaína, cloridrato de cocaína, crack e em amostras, porções, objetos e “materiais diversos apreendidos relativos a infrações penais”.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Sebastião diz que laboratório foi estruturado com equipamentos de ponta

Também irá expedir laudos periciais, pareceres técnicos, laudos complementares e ofícios, desenvolver pesquisas no campo das ciências forenses e ampliá-las, a fim de sugerir a implantação de novas técnicas e métodos de trabalho e realizar projetos e pesquisas que auxiliem na prevenção do uso de drogas.

Longevidade

Sebastião Oliveira salientou que para o laboratório ganhar longevidade, são necessários esforços e parcerias, principalmente com instituições.

“A cidade ganhou um presente. Vamos buscar parcerias com o Município, empresas privadas e outras instituições, o poder público em geral, para manter em funcionamento o laboratório, que apesar de pequeno, tem uma grande importância para a cidade, já que o tráfico de drogas está inserido na vida do jovem que reside nessa região e também pelo fato de o tráfico ter se tornado 'sofisticado', acompanhado de outras formas de criminalidade, como o tráfico de seres humanos, órgãos e até mesmo alimentando financeiramente células terroristas”, frisou.

Equipamentos

O laboratório foi estruturado com equipamentos que irão auxiliar a equipe durante os trabalhos de análise, entre eles o Espectofotômetro de Infravermelho com transformador em Fourier (FTIR), microscópio, centrífuga, estufa e agitadores.

O equipamento tem como função a análise de substâncias químicas e tóxicas através de um feixe de radiação infravermelho, que detecta a natureza dos componentes da amostra investigada em menos de um minuto, com comparações a espectro presente em uma biblioteca existente no software que compõe o equipamento. O FTIR é utilizado nos exames de entorpecentes, medicamentos e até mesmo de componentes explosivos.

PUBLICIDADE