PUBLICIDADE

Rapaz diz que matou porque desde os 12 anos era atormentado pela tia

Campo Grande News em 22 de Abril de 2019

Clayton Neves/CG News

Movimentação de policiais na casa onde ocorreu o crime na última sexta-feira

Em depoimento à Polícia, Ismael Lourival Alves dos Santos, 21 anos, que matou na última sexta-feira (19) a tia, Ivelin Aparecida Alves dos Santos, 46 anos, com 24 facadas, contou que era atormentado pela vítima desde quando tinha 12 anos. Após o crime, no mesmo dia, o rapaz se apresentou à Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) acompanhado pelo pai (irmão de Ivelin e subtenente da Polícia Militar) e por um advogado.

Ismael relatou à polícia que há pouco mais de 1 ano e meio a tia foi morar com ele e mais dois irmãos numa casa localizada na rua Arisoli Ribeiro, na região do Bairro Santo Amaro, em Campo Grande. Ele e os irmãos não moravam com o pai, porque não tinham bom relacionamento com a madrasta. Já a mãe deles se mudou para o Nordeste há 10 anos.

O autor relatou ainda que a tia Evelin tinha um temperamento difícil, era muito agressiva e durante as brigas costumava a arremessar sapatos e pratos de comida contra ele e os irmãos dele. Ele relembra que quando tinha 12 anos a tia chegou a aliciá-lo mostrando-lhe um vibrador. Constantemente, segundo relatos de Ismael, Ivelin, que era homossexual, o chamava de veadinho, veado, gay, bicha e demônio.

Reprodução/Facebook

Ivelin foi radialista em Corumbá

Ivelin já havia registrado boletim de ocorrência contra o autor, o irmão dele, o irmão dela (pai dos meninos) e contra o pai dela. Ela chegou a ser beneficiada com medida protetiva, mas em 2016 desistiu da ação. No dia do crime, estava em casa com o irmão mais novo deitado no quarto quando, depois do almoço, a tia passou a provocá-lo.

Irritado com a situação, o rapaz se levantou e foi até onde a tia estava para pedir que parasse com  aquilo. Porém, segundo depoimento dele à polícia, Ivelin disse que iria colocar veneno na comida dele. Então, num momento de loucura, se armou com faca de cozinha e desferiu vários golpes contra a tia. Após golpeá-la saiu do quarto dela, trocou a roupa suja de sangue e jogou a faca no quintal.

Na sequência, foi até a casa do pai e disse: “Fiz cagada, o senhor me perdoa?” Ele relatou que não se lembra quantas facadas golpeou a tia, apenas que estava com muita raiva no momento do crime. Ismael passou por audiência de custódia na Justiça nesta manhã (22), mas o resultado ainda não foi divulgado. Ivelin foi radialista e passou por várias emissoras em Corumbá. Era aposentada por invalidez, devido a uma artrose nas mãos e pés.

PUBLICIDADE