PUBLICIDADE

Por telefone, bombeiro ajuda pais a salvar bebê engasgado

Rosana Nunes em 09 de Março de 2019

Oito ocorrências foram atendidas pela equipe de plantão do Corpo de Bombeiros de Corumbá nas últimas 24 horas. O destaque foi o caso de uma bebê de dois meses que ficou engasgada e não conseguia respirar após tomar um remédio na noite de sexta-feira (08).

Divulgação/Bombeiros

Cabo Duran, a pequena Mariana e a mãe da menina

A mãe, que mora no bairro Cristo Redentor, ligou para a Central de Operações do 3º Grupamento e enquanto as viaturas de resgate eram acionadas, o rádio operador, cabo Duran, ficou ao telefone passando orientações de como desobstruir as vias aéreas. 

Ela e o pai da pequena Mariana, fizeram todos os procedimentos e a menina voltou a respirar normalmente. Médico do Samu, que também atendeu a ocorrência, ao chegar na residência, avaliou o estado clínico de Mariana, que já estava bem. 

Nesta manhã, o cabo Duran esteve na casa da família, que agradeceu pelo apoio no momento de desespero. 

Como proceder

O primeiro passo é sempre saber identificar o que está acontecendo com o paciente: se o bebê está tossindo, se debatendo bastante e não consegue chorar direito (principalmente se acabou de ser alimentado ou tomou água), podemos concluir que ele está engasgando. Nesse caso, siga as instruções abaixo:

1- Coloque os dedos na mandíbula do lactente com o braço apoiado no torso do bebê. Nós não seguramos na parte mole da garganta, pois isso pode obstruir ainda mais a via aérea desse lactente.

2- Posicione o lactente de forma que ele fique de cabeça para baixo, com o corpo sustentado pelo seu antebraço e a mandíbula apoiada nos seus dedos.

3- Após certificar que ele está firme e seguro em seu braço, incline o lactente para baixo, apoiando o seu cotovelo na sua coxa para garantir firmeza. Só essa manobra já vai drenar bastante esse líquido ou semi-sólido.

4- No alto das costas do lactente (entre os ombros) dê 5 pequenas batidas, direcionando a mão para frente. É preciso ter cuidado com a intensidade, mas ela precisa ser forte para garantir o resultado.

5- Gire o lactente, sempre mantendo a cabeça dele para baixo, na inclinação anterior. Isso é importante, pois suspender o bebê irá dificultar novamente a descida do objeto pela gravidade, sendo necessário reiniciar os esforços de desengasgo. Para um movimento correto, posicione os dedos na ossatura da nuca. Segurando o corpo com o braço, gire de forma que o lactente fique apoiado no outro braço.

6- Na região central do tórax da criança (entre os mamilos), faça cinco compressões utilizando os dedos indicador e médio.

7- Repita o processo até a saída do líquido ou objeto ingerido. Se a criança chorar, é um bom sinal, pois significa que está entrando ar no pulmão e que as vias aéreas estão desobstruídas.

PUBLICIDADE