PUBLICIDADE

Fonplata vai destinar R$ 30 milhões para drenagem e Prefeitura vai em busca de mais recursos

Rosana Nunes em 04 de Dezembro de 2018

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Secretário Ricardo Ametlla disse que paralelo às obras, campanha também vai buscar conscientizar moradores

Duas fortes chuvas, nos dias 21 e 30 de novembro, trouxeram muitos transtornos para a população de Corumbá, atingida por alagamentos em vários pontos da cidade. Média de 30 milímetros de precipitação em curto espaço de tempo em um dia, deixou ruas e casas inundadas e a necessidade de intervenções imediatas nos pontos mais críticos.

Na manhã desta terça-feira (04), o secretário municipal de Habitação e Infraestrutura, Ricardo Ametlla, explicou à imprensa quais medidas estão sendo tomadas pela pasta. Serviços de roçada, capinação, limpeza e manutenção de galerias e bocas de lobo já estão em execução. "Mas é preciso que a população colabore, não jogando lixo nas ruas ou em terrenos. Temos encontrado de tudo nas galerias, até sofá, fogão. Não adianta limpar e no outro dia está sujo novamente", disse ao adiantar que uma campanha de conscientização está sendo preparada e terá a distribuição de cartilhas com os horários da passagem dos caminhões de coleta de lixo doméstico, além da coleta de galhos e outros materiais.

Em relação aos alagamentos, o secretário lembrou que os pontos críticos da drenagem estão localizados nas regiões da bacia do bairro Popular Nova; rua Dom Pedro II até Duque de Caxias; Bacia do Jatobazinho; Bacia do Previsul e área do Anel Viário nas ruas 21 de Setembro e Marechal Floriano, além da rua Rio Grande do Sul, que na última chuva, na sexta-feira (30), parecia um rio.

Divulgação

Rua Rio Grande do Sul esquina com a 21 de Setembro é um dos pontos críticos de alagamento

"O problema ali começou após a construção do Anel Viário e desde 2016 estamos solicitando ao DNIT autorização para realizar a intervenção, por se tratar de uma via federal. Continuamos buscando posição do órgão, pois sem essa autorização não podemos executar frente de trabalho", disse Ametlla.

Ruas como a Cabral, Colombo e Porto Carrero, também afetadas pela chuva e com a pavimentação comprometida pelos buracos, têm recursos do Fonplata, financiamento obtido pelo Município para execução de vários projetos de infraestrutura, mas a empresa ganhadora da licitação não cumpriu exigências e a Prefeitura teve de rescindir o contrato e pedir autorização judicial para chamar a segunda colocada.

"Na Cabral, por exemplo, solicitamos à Sanesul que fizesse mudança na sua rede de abastecimento, transferindo-a do meio para as laterais da via. O serviço foi feito, mas não pudemos iniciar a recuperação do pavimento por causa desse problema no contrato. Esperamos resolver a questão o mais breve possível", destacou o secretário. Ametlla ainda lembrou que o bairro Padre Ernesto Sassida, é um ponto onde os alagamentos foram contidos com as obras de drenagem e pavimentação que são executadas pelo Estado e Município.

Investimentos em drenagem

Participando da coletiva, o secretário de Governo e coordenador do Fonplata, Cássio Costa Marques, lembrou que de 2008 até 2012, foram executadas grandes obras de drenagem, através do PAC (Programa de Aceleração de Crescimento). "Essas intervenções foram fundamentais, foram construídos grandes canais para o escoamento da água", ressaltou.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Prefeito disse que vai em busca de mais recursos para execução de obras de drenagem

Agora, o Fonplata vai destinar, do total de R$ 120 milhões, cerca de R$ 30 milhões somente para drenagem. Mas o município precisa de pelo menos mais R$ 2 milhões para atender pontos emergenciais que não estão incluídos no programa.

Antes de viajar para Campo Grande e depois Brasília na manhã desta terça, o prefeito Marcelo Iunes disse que vai em busca de recursos para a drenagem e outros projetos. "Nós temos a meta de conseguir verbas junto aos governos estadual e federal, mas se não conseguirmos vamos investir recursos próprios nesses pontos críticos. Vamos trabalhar para que o mais rápido possível possamos sanear essas deficiências", frisou.

PUBLICIDADE