Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
17 de Agosto de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Programa Criança Feliz vai beneficiar cerca de 500 famílias em Corumbá

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 11 de Agosto de 2017

Lançado pelo Governo Federal por meio do Decreto nº 8.869, de 05 de outubro de 2016, o Programa Criança Feliz está sendo implantando pela Prefeitura de Corumbá. Aproximadamente 500 famílias estão aptas a receber o programa. O Criança Feliz é promovido pela Secretaria Municipal de Assistência Social e gerido por comitê intersetorial. Tem como finalidade promover o desenvolvimento integral das crianças na primeira infância, considerando sua família e seu contexto de vida. O público prioritário é composto por gestantes, crianças de até 36 meses (três anos) e suas famílias beneficiárias do Bolsa Família e crianças de até 72 meses (seis anos) e suas famílias favorecidas pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Clóvis Neto/PMC

Adelma Galeano, assessora de Políticas Sociais, é a responsável pela implantação do programa em Corumbá

Um dos objetivos do programa Criança Feliz é qualificar e incentivar o atendimento e o acompanhamento de gestantes, crianças na primeira infância e suas famílias nos serviços socioassistenciais. Outra finalidade é apoiar essas famílias no exercício da função protetiva e ampliar acessos a serviços e direitos, além de estimular o desenvolvimento integral dessas crianças e fortalecer vínculos familiares e comunitários. Reforçar a presença da assistência social e desenvolver ações de capacitação e educação permanente que abordem especificidades, cuidados e atenções a gestantes e crianças na primeira infância também são metas.

“Em 2016, foi elaborado o marco legal da primeira infância porque sabemos que até os cinco anos de idade o cuidado com a criança é primordial. Cerca de 75% da nossa linguagem é aprendida até os cinco anos. O foco da campanha é crianças entre 0 e 3 anos e de 0 a 6 anos para crianças que recebem BPC Escola”, afirmou Adelma Galeano, assessora de Políticas Sociais da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Em julho, Adelma participou de capacitação em Campo Grande e está à frente da implantação do programa em Corumbá. “Vamos trabalhar com famílias com alto grau de vulnerabilidade, apoiar a gestante na preparação para o nascimento e os cuidados perinatais, até porque se ela não tiver uma gestação tranquila, já vai nascer uma criança com infância comprometida. O programa visa a promoção do desenvolvimento humano a partir de apoio e acompanhamento integral das famílias na primeira infância”, explicou Adelma.

Famílias que tenham crianças na faixa etária prioritária e que em seu lar existam pessoas com dependência em alguma substância psicoativa também fazem parte do público do programa, além de crianças com baixo peso. “Se não está inserido no Bolsa Família, nem entra no programa Criança Feliz porque é necessário uma política pública para o pessoal do Bolsa Família para que ele se emancipe. Adolescentes grávidas terão olhar diferenciado e famílias em situação irregular de insegurança alimentar”, disse Adelma Galeano.

Prefeitura deve contratar 20 visitadores para o serviço

Edital para contratação de 20 visitadores foi publicado na quarta-feira, 08 de agosto. Conforme o documento, os interessados em participar do processo seletivo tiveram até esta sexta-feira, dia 11, às 11h30, para se inscrever na sede da Secretaria Municipal de Assistência Social, localizada na rua Dom Aquino, Centro de Corumbá. 

Colaborar com a parentalidade, fortalecendo vínculos familiares para o desempenho das funções de cuidado, proteção e educação dessas crianças também é objetivo do Criança Feliz. “O primordial é o afeto, estabelecer vínculos com a criança. A melhor forma de desenvolver vínculos é por meio do brincar com a criança, mediar o acesso à gestante e às crianças na primeira infância e suas famílias aos serviços públicos que necessitam. Integrar, ampliar e fortalecer ações de políticas públicas voltadas para gestantes e primeira infância. É um programa intersetorial”, afirmou Adelma Galeano.

Os visitadores selecionados devem participar de capacitação por meio de curso de 40 horas. O trabalho, de 40 horas semanais, consiste em entrar nas casas, conversar, propor o programa e explicar à família sobre todos os programas sociais disponíveis. A visita não pode passar de 40 a 45 minutos e a família tem que propor o horário da visita. “O entrevistador não vai mexer com a criança. Quem executa as atividades é a família. Ele vai ensinar a família a construir brinquedos com recicláveis para que ela acolha realmente essa criança, brinque com ela. A metodologia toda é voltada para isso, para desenvolver afeto com essa criança”, explicou Adelma.

A assessora de Políticas Sociais finalizou enfatizando que todo o trabalho desenvolvido pelo Criança Feliz acontece através do CRAS. O visitador vai enviar informações ao Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) que irá realizar os encaminhamentos necessários.

 

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE