Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
25 de Junho de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Previdência de todos os servidores será gerida pela mesma agência

Agência Brasil em 20 de Fevereiro de 2017

A proposta de Reforma da Previdência que será apresentada pelo governo estadual em março, deve unificar todos os poderes na Agência de Previdência do Mato Grosso do Sul, atualmente intitulada Ageprev-MS. A intenção é de economizar R$ 100 milhões ao ano. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) detalhou hoje, durante apresentação da reforma administrativa, que a agência de Previdência será intitulada MSPrev após a reforma, e vai unificar as aposentadorias de todos os poderes. Atualmente, cada esfera como o Judiciário, é responsável pela aposentadoria de seus servidores.

O aumento da alíquota de contribuição previdenciária, atualmente em 11%, só será conhecido em meados de março. Até lá, o governo afirma que fará estudos e conversar com servidores e sindicatos para saber "qual percentual vai equilibrar as contas". De acordo com o governador, previsão de gastos com a Previdência em 2017 chegou a R$ 1,1 bilhão e a intenção é que haja economia anual de R$ 100 milhões, após a reforma aprovada e em vigor.

O secretário de Governo, Eduardo Riedel, detalhou que as reuniões com servidores começam nesta semana e será apresentada uma "proposta realista". A Reforma só deve ser apresentada no fim de março.

"A Ageprev vem se organizando desde o começo do governo para ter uma gestão equalizada, para ter mais autonomia, independência e ação que dê tranquilidade aos servidores", disse.

Sendo votada em âmbito federal, os estado precisam regulamentar e por isso, MS tem feito tratativas para atualizar a alíquota. "A previdência não é um setor que se discute a curto prazo, temos que olhar de 40 anos para frente. Não queremos falar ainda quando deve aumentar ainda".

O governo de Michel Temer (PMDB) pretende aprovar a a reforma da Previdência ainda neste primeiro semestre, porém o projeto deve enfrentar uma série de protestos e discussões com a classe trabalhadora. O deputado federal por Mato Grosso do Sul, Carlos Marun (PMDB-MS), é o presidente da comissão especial que discute a proposta na Câmara.

 

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE