Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
12 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

A Reforma da Previdência

Da Redação em 30 de Novembro de 2017

Ainda são muitas as dúvidas sobre as mudanças que serão feitas pela Reforma da Previdência e como elas irão impactar no bolso dos brasileiros. O que se sabe e que se tem certeza até agora é que a idade mínima para aposentadoria será, daqui a 20 anos, de 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens; o tempo de contribuição passará a ser de 40 anos, e o mínimo para uma aposentadoria que não será integral, será de 15 anos, respeitadas as idades.

Muito tranquilos

Os funcionários públicos é que estão demonstrando muita tranquilidade para quem vai perder tanto. Eles serão os principais atingidos nessa história toda já que vão passar para um regime igualitário com os funcionários privados. O primeiro prejuízo que terão será que as aposentadorias que não poderão ser maiores do que o teto do INSS, hoje em R$ 5,5 mil. Eles, os funcionários públicos, até agora, aposentam com o que estão ganhando, alguns com mais de R$ 30 mil por mês. 

Até os políticos

Deputados, senadores, desembargadores, procuradores, todos, mas todos mesmo vão passar para o regime do INSS. Imagine um magistrado que ganha mais de R$ 100 mil por mês, passar a ganhar R$ 5,5 mil depois que aposentar. 

Detalhe

Estão todos muito quietos, o que causa estranheza. Será que tem alguma coisa embaixo desse pano? 

Salvam-se os militares

Parece que os militares ficaram fora dessa e vão manter o mesmo regime que têm até hoje. Normalmente um militar (praça) se aposenta como subtenente, no caso do Exército ou suboficial, no caso da Marinha. Ambos são promovidos a tenente e levam para casa o salário desta patente, algo em torno de R$ 7 mil por mês, R$ 1,5 mil a mais que o teto da previdência. 

Será que passa?

Talvez até por isso funcionários públicos estejam calados, sem se manifestar sobre a reforma, porque não acreditam que ela seja aprovada. Os deputados estão fazendo um cavalo de batalha, uma moeda de troca, uma barganha vergonhosa com a coisa pública digna de prisão por estelionato. 

Até o PSDB

Que deixou o governo agora afirma que vota pela reforma, mas desde que Temer atenda algumas demandas do partido. Que demandas seriam essas? Cargos, poder, dinheiro para a campanha do ano que vem? Que coisa feia está esse país com tudo isso feito às claras e sem nenhum tipo de punição para quem açoita a moral brasileira.

Pra quem gosta de pesquisar

Site da Caixa Econômica Federal, meses de novembro e dezembro dos últimos três anos, pelo menos. Fim de ano e a Mega-Sena começa a acumular altos valores, como o que pagou no sorteio de ontem, de R$ 66 milhões. Pode ser uma grande coincidência que os prêmios se acumulem tanto nesse período, mas também pode ser um grande marketing para a Mega da Virada.

(*) Detalhe é uma coluna de opinião do Diário Corumbaense que aborda os mais variados assuntos. 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE