Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
12 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Free Shops, projeto será efetivado, mas quando?

Da Redação em 28 de Novembro de 2017

Isso ninguém responde. Fazem reuniões, audiências, caravanas, viajam, mas ninguém fala quando é que essas famosas lojas que vão vender produtos com isenção de impostos vão começar a funcionar nas cidades brasileiras de fronteira. A promessa não é nova, tem vários anos, e toda vez que as campanhas eleitorais se aproximam, lá o assunto fica aquecido de novo. 

Sonho antigo

Figurava como Área de Livre Comércio e havia projeto do passado, alguns dizem que até mesmo de antes da primeira metade do século XX. Aldari Marinho Soares, em sua gestão como presidente da Associação Comercial de Corumbá, apoiado pelo comerciante Jorge Katurchi, foi quem voltou a levantar a bandeira, isso lá pelos anos de 1990. Encontraram eco com o senador, já falecido, Ramez Tebet que fez novo projeto que deu entrada no Congresso Nacional e ninguém ficou sabendo mais de seu paradeiro. 

Lei Aprovada

O Projeto de Lei que foi aprovado pelo Senado Federal há uns quatro anos, foi o do senador do Rio Grande do Sul, Marco Maia, e nem precisou passar pela presidência da República para ser sancionado. Agora, ele aparece como Free Shop, que serão lojas autorizadas a vender com isenção de impostos, criando assim a expectativa de barateamento dos produtos para promover a concorrência com o comércio internacional. 

Regulamentação

A Receita Federal é que até hoje está enrolando para regulamentar a lei, com a desculpa de que não terá como fiscalizar. Por enquanto autorizou somente a construção do programa de informática para gerir as free, nada mais do que isso. Ninguém sabe, por exemplo, quando é que esse programa vai ficar pronto e o que vai faltar ainda para passar a lei à prática. 

Respostas

Talvez a caravana que vai à Brasília no início de dezembro, traga respostas concretas, mas respostas objetivas, não aquelas: "a meu ver", "o que eu acho", "a minha impressão", entre outras tantas que de nada adiantam ou acrescentam à informação.

PMDB

É a bola da vez. Partido que nunca se afastou do poder está sob os olhares atentos dos sul-mato-grossenses nesta semana. Até que tudo seja resolvido na convenção do dia 02 de dezembro, a expectativa é das maiores, até porque o partido poderá lançar o mais forte concorrente ao governo para disputar com o governador Reinaldo Azambuja o Governo do Estado no ano que vem. 

Principal nome

Parece que o ex-governador André Puccinelli não vai dar bola para a prisão dele e de seu filho André Júnior e vai mesmo querer o comando do PMDB e provavelmente a vaga de candidato a governo em 2018. Antes da prisão, na semana passada, ele tinha esses dois postos como certos. 

A julgar 

Pelas declarações que deu, de que achou sua prisão e do filho infundadas e que não há sequer acusação formal contra eles, André vai em busca da liderança peemedebista. E apesar dos pesares, ninguém pode dizer que o Italiano não tem força política neste Estado, apesar de estar prestes a encarar uma guerra contra a máquina administrativa, que ele mesmo sabe muito bem o quanto é forte.

(*) Detalhe é uma coluna de opinião do Diário Corumbaense que aborda os mais variados assuntos. 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE