Moinho Concert reverencia Mato Grosso do Sul e suas influências

Lívia Gaertner em 02 de Dezembro de 2017

Divulgação/Moinho Cultural

Espetáculo contará com treze coreografias em cinco atos

Às vésperas de mais um grande espetáculo anual, o clima no Moinho Cultural Sul-Americano nos últimos dias foi de bastante expectativa e momento de checar cada detalhe, durante os ensaios, para apresentar o melhor no palco.

Marcado para este domingo, 03 de dezembro, o Moinho Concert deste ano voltará a acontecer na praça Generoso Ponce, onde uma grande estrutura de palco vai receber 280 crianças e adolescentes do projeto social que tem como um dos mais representativos pilares a escola de artes, onde são ensinadas técnicas de balé e música clássica.

José Roberto dos Santos Júnior, coordenador-geral do Moinho Cultural Sul-Americano, explicou ao Diário Corumbaense que para esta edição do espetáculo foi escolhido um tema que vem sendo evidenciado.

“Falamos de divisão do Estado, originando a criação de Mato Grosso do Sul há 40 anos. Para isso escolhemos a arte plástica de Humberto Espíndola com a emblemática tela 'O Sopro', que mostra esse momento”, disse ao revelar que o espetáculo está estruturado em cinco atos que envolvem ainda a poesia de Manoel de Barros, a influência de diversos países sobre a identidade sul-mato-grossense e, arrematando todo o enredo, o rio Paraguai: elemento aglutinador com sua força, crença e cultura regional.

O responsável por ser o fio condutor de tantas referências será o ator corumbaense Salim Haqzan que, entre uma e outra das 13 coreografias, entrará em cena com textos e poemas, promovendo a unidade entre toda essa profusão na qual se originou e se amalgamou o estado de Mato Grosso do Sul.

Além dos quase 300 alunos do Moinho Cultural, o espetáculo  contará com uma equipe que envolve professores, voluntários e convidados, totalizando mais de 400 pessoas para  colocar em execução perfeita o Moinho Concert.

Divulgação/Moinho Cultural

Orquestras e coral também integram o Moinho Concert “Nossa Gênese”

Da Capital do Estado, virão integrantes da Orquestra Sinfônica de Campo Grande, e da Bolívia, a participação especial também de uma orquestra, promovendo um dos pilares do Moinho, que é a integração fronteiriça por meio da arte.

O Moinho Concert “Nossa Gênese” está programado para ter início às 20 horas na praça Generoso Ponce.

Após o espetáculo, o Moinho Cultural deve encerrar suas atividades de 2017, conforme contou a este Diário, o coordenador José Roberto. O retorno está previsto para o final de janeiro com a abertura de matrículas para novos alunos e, em fevereiro, logo na primeira semana, devem ser realizadas provas avaliativas para, então, a partir do dia 19 de fevereiro, ser iniciado o novo ano letivo.

Comentários:

Olemar Tibães Lopes Júnior : Mais um grande espetáculo promovido por nosso tão querido Moinho, este que, outrora moldava grãos para alimentar, hoje moda gente para crescer! Parabéns a este orgulho da gente pantaneira!

PUBLICIDADE