Ao verificar denúncia de receptação, PM estoura boca de fumo no Centro América

Ricardo Albertoni em 17 de Novembro de 2017

Divulgação/PM

Polícia apreendeu 157 papelotes de pasta base, prontos para a comercialização, além de objetos sem comprovação de origem e dinheiro

Equipe da Força Tática da Polícia Militar de Corumbá prendeu na manhã desta sexta-feira (17) homem por tráfico e receptação e estourou “boca de fumo” no bairro Centro América. O flagrante aconteceu após denúncia de que havia uma bicicleta, produto de roubo em uma residência localizada na região.

Os policiais foram até o endereço informado e identificaram que eram várias casas próximas e pela porta entreaberta de uma delas, foi possível ver a bicicleta “Caloi preta” informada na denúncia. Como havia produto de roubo no imóvel, a guarnição realizou a entrada tática para verificar se havia mais objetos roubados/furtados.

Dentro do imóvel estava um casal e no momento em que o homem de 31 anos percebeu a presença policial tentou fugir, mas foi contido. Ele estava com uma sacola contendo 157 papelotes de pasta base de cocaína, prontos para a comercialização, indicando que o local seria um ponto de venda de drogas.

A PM realizou revista minuciosa no imóvel e encontrou objetos sem comprovação lícita como cinco aparelhos celulares; TV de 29 polegadas; caixa de som; pen drive; além de várias notas de real de baixo valor e balança de precisão para pesar entorpecente.

Um indivíduo apareceu na casa e se assustou com a presença dos policiais realizando as buscas. Abordado e revistado, com ele havia diversas notas de R$ 2 e isqueiros. Ele tentou enganar a guarnição, porém, o autor que estava no imóvel confessou que seria o proprietário da droga e que o homem abordado já havia comprado entorpecente com ele por várias vezes.

A testemunha, autor, droga, objetos apreendidos e a quantia de R$ 104 foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil de Corumbá, onde a vítima do roubo da bicicleta e um celular reconheceu o autor com um dos participantes de assalto. Com problemas de saúde e por não haver provas contra ela, a mulher que estava na casa no momento em que a PM entrou, foi liberada. 

PUBLICIDADE