Marcelo Iunes vai pedir ao governo agilidade na execução de obras já previstas

Rosana Nunes em 07 de Novembro de 2017

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Coletiva aconteceu com a participação do presidente da Câmara, Evander Vendramini, e do secretário de Governo, Cássio Costa Marques

O prefeito de Corumbá, Marcelo Aguilar Iunes (PTB) em coletiva de imprensa nesta terça-feira (07), reforçou o que já havia afirmado em entrevista ao Diário Corumbaense que mantém a equipe de governo e vai dar andamento aos projetos iniciados por Ruiter Cunha (PSDB), prefeito que faleceu no dia 1º de novembro, após ser submetido a uma cirurgia cardíaca de emergência. "Ruiter era um amigo irmão, quando formamos a chapa, formamos um grupo, então o grupo é um só, hoje, com ele infelizmente não estando presente entre nós", destacou. 

Iunes disse que todas as pastas da administração são importantes, mas tem uma preocupação especial com a Saúde. "É essencial dar às pessoas que precisam da Saúde Pública um bom atendimento. Então, vamos trabalhar para que não faltem medicamentos, que o tempo para realização de exames seja o menor possível e cobrar dos servidores a atenção necessária para com a população. Isso também era preocupação do Ruiter", afirmou o prefeito ao anunciar que na segunda-feira (06) assinou o documento de doação definitiva do terreno onde a Cassems (Caixa de Assistência aos Servidores de Mato Grosso do Sul) constrói um hospital, no bairro Popular Velha. "Isso é importante também para Corumbá, vai ajudar a desafogar a nossa Santa Casa, porque vai atender aos convênios com o Estado e o Município."

Marcelo Iunes deve ser recebido pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) nesta quarta-feira (08) em Campo Grande. Embora o chefe do Executivo estadual tenha se comprometido a honrar todos os compromissos assumidos com Ruiter, como a reforma do Hospital, construção de um novo pronto-socorro e outras obras de infraestrutura, como contrapartida ao Fonplata, Iunes disse que as coisas precisam caminhar, sair do papel. "O próprio Ruiter manifestou preocupação com a demora no trâmite burocrático e é isso que vamos cobrar do governador, que os projetos saiam do papel, que os recursos sejam liberados o mais rápido possível porque essas frentes de trabalho também significam emprego e renda", frisou.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Iunes afirmou que vai cobrar do Governo do Estado o início de obras já anunciadas

Sobre o estádio Arthur Marinho, o prefeito disse que a posição do Município é muito clara: a doação da praça esportiva pela LEC (Liga de Esportes de Corumbá) para que possam ser feitas as adequações e o Corumbaense dispute os jogos da Copa do Brasil e da Série D em casa em 2018. "Querem que a Prefeitura desaproprie o estádio. Não há essa possibilidade, de pagar pelo estádio e depois ainda ter que realizar as reformas. O atual convênio da Prefeitura com a LEC encerra em dezembro, até lá, esperamos que os diretores da liga revejam suas posições", enfatizou.

Em relação ao concurso público anunciado para este ano, o Procurador do Município, José Luis Amorim, esclareceu que os trâmites legais estão em andamento com previsão de realização para o início do próximo ano e que a prioridade de vagas será para professores. Foi feito um levantamento em todas as secretarias e a Educação apontou maior deficiência no quadro de vagas.

Apoio da Câmara e Fonplata

Também participaram da coletiva o presidente da Câmara de Vereadores, Evander Vendramini (PP) e o secretário de Governo, Cássio Augusto da Costa Marques.

Evander destacou apoio ao governo de Marcelo Iunes. "Evidentemente, vamos manter sempre a função, que é a independência dos Poderes, de poder fiscalizar, de poder legislar. Só acho que, nesse momento, por tudo que passou Corumbá nesses últimos dias, temos a obrigação de, com as forças políticas, ajudar o Marcelo a dar andamento na administração que vinha sendo feita. Disse isso a ele,  que pode contar com a Câmara, com a nossa parceria. Aquilo que for competência da Câmara para agilizar, para ajudar Corumbá, com toda certeza, faremos porque isso interessa a população, ela é o objetivo de qualquer administração", afirmou ao Diário Corumbaense.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Cássio Costa Marques é secretário de Governo e coordena o projeto do Fonplata

O secretário de Governo, Cássio Costa Marques, falou sobre a decisão de Iunes de manter a equipe que vinha trabalhando com Ruiter Cunha. "Ele vai acompanhar o trabalho de todo mundo, como o Ruiter acompanhava. Ele, inclusive, já teria uma avaliação básica nesses dez meses do que estava acontecendo, infelizmente, não nos passou isso, não teve tempo de se manifestar com relação a essa avaliação, mas o Marcelo conhece a todos e, certamente, vai fazer essa avaliação e acompanhar. Nosso papel enquanto secretário de Governo é ajudá-lo na coordenação das ações e criar mecanismos para que possa avaliar objetivamente o desempenho da administração", afirmou.

Cássio também é coordenador do Fonplata Fundo Financeiro de Desenvolvimento da Bacia do Prata). A Prefeitura vai realizar obras com 40 milhões de dólares (aproximadamente R$ 124,8 milhões) do financiamento disponibilizado pela instituição internacional e com outros US$ 40 milhões, como contrapartida estabelecida pela parceria do Município e do Governo do Estado. 

"O processo está na fase de correção de algumas observações dos editais de licitação enviados ao Fonplata. Eles fizeram a análise, algumas considerações do que atende as exigências do banco, recebemos os editais já com as observações e estamos trabalhando na adequação desses editais. Tão logo terminemos, isso é reencaminhado ao Fonplata, que vai fazer uma última leitura e emitir uma documentação da não objeção, ou seja, dizer que está tudo ok conforme as exigências do banco. Volta para cá, a gente já publica e lança para a licitação. Estamos falando de algo em torno de R$ 55 milhões. Se deus quiser, esse ano, os editais serão publicados, talvez, não dê tempo de concluir o processo licitatório, mas certamente, publicar as datas de realização das licitação será possível", concluiu.

As ações do Fonplata serão voltadas para o desenvolvimento de áreas de recreação e descanso, infraestrutura de vias e drenagem, recuperação do patrimônio histórico, fomento do turismo e moradia para famílias que vivem em áreas de risco. 

 

PUBLICIDADE