Simulação de ação contra criminosos encerra curso ministrado pelo Bope em Corumbá

Ricardo Albertoni em 01 de Setembro de 2017

Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Ação consistiu em uma investida de quadrilha contra uma instituição financeira com sede na rua Porto Carrero

Na noite quinta-feira, 31 de agosto, simulação de resposta feita pela Polícia Militar e agentes de segurança do município, a crimes contra atividades ilícitas, denominadas "Novo Cangaço" que têm como alvo instituições financeiras, encerrou curso iniciado na última terça-feira (29) em Corumbá.

O exercício, que teve duração de duas horas serviu para colocar em prática as técnicas aprendidas durante a parte teórica do curso ministrado pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais de Mato Grosso do Sul (BOPE), através do capitão PM Souza e do sargento Aragaki.

Durante a simulação, que consistiu em uma investida de quadrilha contra uma instituição financeira com sede na rua Porto Carrero, foi realizado levantamento dos indivíduos envolvidos, veículo, características físicas e de vestuário, armamento e o percurso de fuga dos bandidos. A tecnologia utilizada amplamente possibilitou que todos os pontos de saída da cidade fossem fechados, culminando no desfecho positivo da operação. Os veículos dos criminosos foram interceptados na rodovia Ramão Gomez e na BR-262.

Veículos dos criminosos foram interceptados na rodovia Ramão Gomez e na BR-262

O movimento de viaturas, homens armados e bombas nas proximidades da instituição financeira que foi determinada como alvo da ação criminosa, despertou a curiosidade de alguns que passavam ou que estavam próximos do local. O 6º BPM optou por realizar ampla divulgação da ação para que não houvesse pânico entre os moradores.

Instrutor do curso, o capitão da PM Vinicius de Souza Almeida, trabalha há um ano e meio no interior de Mato Grosso do Sul com o objetivo de preparar os órgãos de segurança para que façam frente às quadrilhas que se utilizam da modalidade do “Novo Cangaço” para assaltar instituições financeiras. O objetivo da vinda do oficial à região foi para elaborar, em companhia de todos os órgão de segurança pública da região, um plano de defesa para a cidade, bloqueando todas as saídas e  impedindo a fuga dos criminosos.

De acordo com o oficial, participam do plano de defesa todos os policiais militares e civis de serviço e de folga. Ele destacou como um dos pontos positivos na elaboração de um plano de defesa eficiente, o aparato de segurança pública existente na região.

“Corumbá tem uma situação atípica por conta da distância das outras cidades, porém, o aparato de segurança pública que a gente tem aqui é maior do que qualquer cidade do interior. Tem Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, uma Guarda Municipal com efetivo grande, então, tudo isso ajuda no nosso plano de defesa. É importante a união de forças de todos os órgãos disponíveis de segurança pública”, destacou o capitão.

De acordo com o tenente-coronel Massilon de Oliveira e Silva Neto, comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar de Corumbá, como aperfeiçoamento da ação, haverá agora a ampliação do sistema de resposta policial que deve contar com a inclusão de outros órgãos de segurança para que o alcance da intervenção seja maior e criminosos sejam desencorajados a realizar ações na região diante da capacidade e do poder de resposta das instituições de segurança ao crime.

O exercício, que teve duração de duas horas, serviu para colocar em prática as técnicas aprendidas durante a parte teórica do curso ministrado pelo BOPE

“A ideia agora é pegar esse embrião que foi feito aqui e ampliar, incluir outros órgãos de segurança para que a gente possa fazer realmente um plano de defesa para que Corumbá seja uma cidade totalmente desestimulante de se fazer qualquer ação nesse sentido. Incluir outros órgãos de segurança que não foram incluídos desta vez, como a Marinha e o Exército, na questão do ponto de bloqueio nos rios, na fronteira, deixando Corumbá blindada contra esse tipo de ação”, explicou o comandante.

Ao final, Silva Neto parabenizou a tropa e lembrou sobre a importância de os policiais se qualificar. O comandante que assumiu o 6º BPM no dia 26 de julho, deixou a entender que vai priorizar a qualificação dos policiais sob seu comando.

Tenente-coronel Silva Neto, comandante do 6º BPM (à direita), destacou que haverá aperfeiçoamento da ação com a inclusão de outros órgãos de segurança

“Eu vim para Corumbá e trouxe uma vontade muito grande de trabalhar e de ajudá-los a produzir muito mais com o que a gente tem e um dos caminhos é a profissionalização. O profissionalismo de uma tropa é medido não apenas pelos resultados que ela obtém, mas também pela busca em fazer as coisas de forma correta, de forma técnica, de modo que os resultados aconteçam não por sorte, mas porque se tem efetivamente uma linha de trabalho que traz esse resultado. Eu fico muito feliz porque desde que eu cheguei a Corumbá tenho tido boas surpresas com essa tropa”, disse o tenente-coronel Silva Neto.

Novo cangaço

No sertão nordestino, um grupo de assaltantes de bancos que se autodenomina "Novo Cangaço" tem atuado de forma violenta, explodindo caixas eletrônicos, fazendo moradores reféns e ameaçando matar policiais locais. Eles contam com explosivos, carros blindados e armamento pesado para suas ações. Essa modalidade de crime também vem sendo registrada em outros Estados do País, inclusive Mato Grosso do Sul.

PUBLICIDADE