Nossa Senhora de Urkupiña será festejada em Corumbá no domingo

Lívia Gaertner em 14 de Agosto de 2017

A comunidade boliviana residente em Corumbá prepara festejos para a Nossa Senhora de Urkupinã neste domingo, 20 de agosto. Celebrada na Bolívia entre os dias 14 e 16 de agosto, a santa católica é considerada pelo Governo Boliviano como a padroeira da Integração Nacional.

Em Corumbá, por muitos anos, as festividades tiveram como ponto de referência a antiga Feira Brasbol, local onde hoje, existe uma praça com mesmo nome da santa. Porém, em vários bairros da cidade, há devotos que promovem as comemorações com novenas até a culminância com uma grande festa.

“É uma grade responsabilidade e alegria organizar uma festa tão importante para nosso povo. Durante todo ano nos preparamos para esse momento”, explicou ao Diário Corumbaense, Lidia Elizabeth Chipana Guarachi que, juntamente com o esposo Mario Terrazas Mamani, são os pasantes (festeiros) deste ano.

A imagem herdada da antiga feira Brasbol será festejada no domingo, 20, com uma missa pela manhã, às 09 horas, na igreja Santuário de Nossa Senhora Auxiliadora, onde devotos e comunidade participam do momento de fé que antecede um grande cortejo dançante pelas ruas da cidade.

Anderson Galloo/Arquivo Diário Corumbaense

Morenada é uma das danças folclóricas que estarão presentes no cortejo dançante em homenagem à Virgem de Urkupiña

Dança e música folclóricas são a forma encontrada pelos devotos de celebrar seus santos na cultura boliviana. Para Nossa Senhora de Urkupiña, este ano, o cortejo contará com blocos de Morenada e Pujllay, respectivamente danças altamente difundidas em La Paz e Chuquisaca.

O cortejo segue até a região de Arroyo Concepción, do lado boliviano da fronteira, e termina num salão de festas onde grupos de música animam o almoço que segue por toda tarde e noite.

Origens

O dia dedicado a Nossa Senhora de Urkupiña é 15 de agosto. O nome Urkupíña é uma adaptação da língua indígena quéchua para a expressão “orqopiña”, que significa “já está na colina”, resposta que a jovem pastorinha que teria avistado Nossa Senhora disse aos pais quando perguntada sobre onde estaria a Virgem onde, hoje, fica a região de Quillacollo, em Cochabamba.

Contam que na época colonial, uma pequena menina ajudava a seus pais pastoreando ovelhas. Certo dia apareceu para a pastorinha uma formosa e deslumbrante senhora que carregava em seus braços um menino, a qual se converteu em sua amiga.

Para a menina o conversar com a senhora, quem lhe falava em seu idioma nativo, o quechua, e brincar com o menino, converteu-se em algo natural. Ao chegar a sua casa, contou aos seus pais sobre a bela senhora; que surpresos ouviram a sua filha relatar a forma em que “a senhora” apareceu.

Os pais da pastorinha estranharam e compartilharam o fato com o sacerdote da paróquia e alguns vizinhos, quem decidiram verificar a veracidade do relato da menina. Um dia 15 de agosto, de surpresa, apareceram os pais e alguns vizinhos no lugar onde a menina pastoreava suas ovelhas. Grande foi a surpresa quando viram a pastorinha acompanhada da Senhora e seu filho. O assombro e incredulidade se apoderaram da gente, quando viram que lentamente a senhora e o menino começaram a subir aos céus.

PUBLICIDADE