PUBLICIDADE

Carro de comerciante assassinada é encontrado abandonado

Leonardo Cabral em 12 de Julho de 2020

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Carro foi deixado abandonado na mesma rua em que a vítima morava, mas em outro bairro

O carro Volkswagen, modelo Fox, de cor preta, placas QAU 4F16, pertencente a Liane Aparecida de Arruda, de 51 anos, morta a golpes de faca na região do pescoço, na área central de Corumbá, foi encontrado. O veículo estava abandonado no final da rua América, próximo a pista do Aeroporto Internacional de Corumbá, no bairro Aeroporto.

O Diário Corumbaense apurou que os peritos da Polícia Civil encontraram uma marca de sangue na maçaneta da porta do motorista. Além disso, foram achadas garrafas de cerveja, o que indica que mais de uma pessoa pode estar envolvida no crime. Equipe da Polícia Militar também esteve no local dando apoio. 

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Além de cervejas, o CPU também estava dentro do carro, que tinha marca de sangue na maçaneta do motorista

Também no interior do carro havia uma máscara e um pó branco, que pode ser entorpecente, foi encontrado no banco de trás. O CPU que gravava as imagens de câmeras de segurança do restaurante de Liane e que havia sido levado, estava no carro. A perícia no computador deve ajudar nas investigações. Uma das câmeras internas foi coberta com toalha de mesa, mas as outras estavam funcionando.

Bom relacionamento

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

João foi quem achou corpo junto com a irmã de Liane

Funcionário há quase cinco anos do restaurante de Liane, localizado na esquina das ruas América e Major Gama, João Ricardo da Costa Otassu, disse que mantinha um bom relacionamento com a vítima. Foi ele quem chegou para trabalhar na manhã deste domingo, e pela demora para abrir o local, resolveu avisar a irmã de Liane, que foi até o estabelecimento e encontrou o corpo da irmã em um dos cômodos da casa que fica anexo ao prédio do restaurante.

"Cheguei como de costume, às 07h, para trabalhar. Fiquei esperando até 10h30, conversando com o guarda da frente de outro estabelecimento. Pela demora, resolvi ir até a casa da irmã dela e, então, viemos para o restaurante. Como estava fechado, um rapaz que passava pela rua estava com uma máquina e pedimos para ele abrir a porta, foi quando entramos, vimos que estava tudo normal no restaurante e seguimos em direção ao quarto dela, quando encontramos o cofre aberto e algumas roupas reviradas. Fomos para o outro quarto e vimos Liane de bruços. Quando vi as marcas de sangue, saímos e acionamos a Polícia”, relembrou.

João ainda ressaltou que a comerciante era uma boa pessoa. "Se não fosse por ela, eu não estaria empregado. Ela sempre levava os funcionários para casa, quando fechava o restaurante. Uma boa patroa”, completou o funcionário que trabalhava apenas no período matutino de terça-feira a domingo.

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Liane levou golpe de faca no pescoço

Outra funcionária, Ivone Santiago Pereira, contou que trabalhava há dois anos com Liane. “Ela levava a gente embora, assim que fechava o restaurante e todas as noites quando descia, ela dizia: 'até amanhã'. Mas ontem foi a última vez que ela disse e esse até amanhã será nunca mais”, disse emocionada Ivone a este Diário. Ela ainda contou que levaram dinheiro do cofre e da bolsa de Liane. 

Latrocínio (roubo seguido de morte) é uma das linhas de investigação, segundo informou o delegado da Polícia Civil, Willian Rodrigues. Ainda de acordo com ele, imagens de câmeras de segurança ao redor do estabelecimento comercial, também vão ser solicitadas para ajudar nas investigações.

PUBLICIDADE