PUBLICIDADE

Comitê avalia reabertura de rodoviária para controlar fluxo de passageiros e combater transporte irregular

Leonardo Cabral em 22 de Maio de 2020

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Live sobre orientações de combate ao coronavírus aconteceu na tarde desta sexta-feira (22)

Live realizada na tarde desta sexta-feira, 22 de maio, com a participação do prefeito Marcelo Iunes, o secretário de Saúde, Rogério Leite e o médico infectologista da Secretaria Municipal de Saúde, Hilton Luiz Alves Filho, informou o quadro atual da covid-19 em Corumbá, que já tem 17 casos positivos da doença e reforçou orientação sobre a prevenção, como o uso de máscaras, a higiene das mãos, a não aglomeração e o isolamento social. 

Outro assunto foi a possibilidade de reabertura da Rodoviária Intermunicipal, que está interditada há quase dois meses, além da proibição de embarque e desembarque de passageiros em ônibus ou vans. Foram as primeiras medidas tomadas pela Prefeitura, junto com o toque de recolher, para evitar a disseminação da doença. 

Conforme o secretário de Saúde, Rogério Leite, o Comitê que trata das medidas de prevenção e combate ao coronavírus, instituído pela Prefeitura, estuda a possibilidade da abertura da rodoviária, pois o que se observou nesse período foi o aumento de "caronas amigas" e do transporte irregular de pessoas nestes dois meses.

“Do que nos adianta fechar o terminal rodoviário, se as pessoas ainda seguem viajando e chegando mais gente em nossa cidade? Isso interfere diretamente no trabalho da barreira sanitária, pois, sem a chegada dos ônibus de viagem, a ida e vinda de pessoas prosseguiram com ‘caronas amigas’ ou até mesmo com pessoas que estão insistindo no transporte irregular, colocando em risco a própria saúde e também de todos os moradores da cidade, com essa prática. Isso faz com que a barreira perca a efetividade de sua função que é monitorar e dar segurança para todo cidadão que precisa desse deslocamento”, disse o secretário.

Rogério Leite ressaltou que se a rodoviária for reaberta, o trabalho será bem mais efetivo, ou seja, será possível fazer a fiscalização e o controle de pessoas. “É preciso cobrar e também ter dever por parte de todos, tanto do poder público como da população. É necessário estarmos alinhados”, falou ressaltando que com a rodoviária aberta seria bem mais fácil o controle por parte da equipe de Saúde, já que cada empresa pode ser monitorada e controlada. “A empresa tem responsabilidade perante a pessoa, orientação dessa pessoa, podemos fazer sim o controle de uma maneira mais segura das empresas avaliadas pelos órgãos excepcionais e especiais que fazem as normas do direito de ir e vir. Por isso, estamos em discussão com o Comitê para que a gente possa, no momento certo, fazer a abertura da rodoviária e dar segurança para o cidadão que precisa viajar, mas de uma maneira monitorada”, explicou.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Comitê estuda reabertura de rodoviária para ter maior controle de pessoas na chegada em Corumbá

O Ministério Público Estadual já questionou o fechamento do terminal por entender que o Município não tem autonomia para definir regras sobre o transporte intermunicipal. A Prefeitura decidiu seguir com a interdição como medida essencial de prevenção, já que em períodos normais, o fluxo na rodoviária gira em torno de 1.000 a 1.500 pessoas por dia. Mas agora, com regras, o prefeito Marcelo Iunes, acredita que é possível a reabertura, mas não adiantou datas. 

“Tem pessoas que persistem na 'carona amiga' e em burlar a barreira sanitária durante viagens feitas pelos transportes irregulares. No entanto, com a  reabertura da rodoviária, teremos um maior controle por parte da Vigilância em Saúde. Haverá regras rígidas, como a disponibilidade de apenas 50% das vagas dentro dos ônibus, obedecendo o distanciamento entre eles e gerando o controle dos viajantes”, mencionou o prefeito, que defendeu o isolamento social e viagens somente em casos de extrema necessidade.

O médico infectologista, Hilton Luiz Alves, também reforçou a importância do isolamento e distanciamento sociais. "Só saiam de casa se for realmente preciso. Isolamento social é muito importante. A população tem que entender que é necessário se prevenir. Chegar a ter que decretar o lockdown é muito triste para uma cidade. É preciso respeito e empatia para com aqueles que precisam sair de casa todos os dias para trabalhar”, pontuou. 

O infectologista ainda relatou que dos 17 casos positivos de covid-19, dois deles (um casal) veio de Belém do Pará para Corumbá, de "carona amiga", além de outras quatro pessoas que contraíram a doença em viagem para Belém, Rio de Janeiro e São Paulo. 

PUBLICIDADE