PUBLICIDADE

Com tanque de guerra e fuzil, militares agridem jornalistas na fronteira com o Paraguai

Fonte: Campo Grande News em 27 de Dezembro de 2019

Porã News

Agredido por militares armados, repórter recolhe equipamento do chão

Militares do Exército paraguaio agrediram jornalistas que cobriam uma ameaça de invasão na manhã desta sexta-feira (27) em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande.

Armados com fuzil, os militares comandados pelo tenente-coronel Sergio Espinoza impediram os repórteres de fazer imagens deles e das famílias que estavam próximas à área militar localizada na margem da Ruta 5, rodovia que liga Pedro Juan Caballero à capital Assunción.

De acordo com jornalistas da fronteira, os repórteres de jornais e emissoras de TV baseados em Pedro Juan foram ao local para acompanhar a ameaça de ocupação da área militar por famílias sem-teto.

Porã News

Tanque de guerra levado por militares para impedir ocupação de área do Exército

Quando tentavam gravar imagens e tirar fotos da movimentação, os repórteres foram agredidos. Marciano Candia, do jornal Última Hora, foi jogado ao chão.

Além de Marciano Candia, Nelson Candia da Rádio Império e Angel Recalde, da Futura FM, também foram ameaçados e agredidos fisicamente pelos militares.

Até um tanque de guerra foi levado pelos militares ao local para impedir a invasão da área. Os jornalistas afirmam que ainda hoje vão denunciar o caso ao promotor de Justiça Marcos Amarilla. O Exército paraguaio ainda não se manifestou sobre o caso.

PUBLICIDADE