PUBLICIDADE

Emoção marca reencontro entre mãe e filha após mais de quatro meses de separação

Leonardo Cabral em 13 de Setembro de 2019

Anderson Gallo/Arquivo Diário Corumbaense

Imagens mostram as reações de Elza Carolyne antes de rever a filha

Um reencontro emocionante. Foi assim, o momento vivido por Elza Carolyne Albuquerque ao rever a filha, Mariah Maitê, depois de mais de quatro meses, na manhã desta sexta-feira, 13 de setembro. Ela estava acompanhada dos pais, avós da pequena Mariah, que também não escondiam a ansiedade.

O corredor da sede do abrigo da Cripam - Casa de Acolhimento Institucional Marisa Pagge, para onde a menina, de pouco mais de 1 ano, foi levada após a prisão do pai, Willians Venâncio Dolens, de 39 anos, parecia mais distante do que os quase 800 quilômetros percorridos pela mãe e avós, entre as cidades de Presidente Venceslau/SP e Corumbá, na região de fronteira com a Bolívia.

Ao segurar a filha nos braços, Elza Carolyne não conteve as lágrimas. A abraçou, encheu de beijos, deu aquele cheirinho de mãe e agradeceu por reencontrar a Mariah. “Estou muito feliz, sem palavras para descrever esse momento maravilhoso. É uma bênção poder ter a minha filha nos braços. Meu medo era que ela me rejeitasse, pois foi tirada de mim ainda com oito meses, mas ela me reconheceu, preferiu vir para o meu colo. Quero aqui, agradecer a Deus, aos policiais que se empenharam e agora vou viver em paz com a minha filha. Acabou o pesadelo, agora é vida que segue e é ser feliz”, disse com sentimento de alívio. Elza ainda lembrou a última vez que viu a filha. “Ela nem sentava. Agora está muito diferente e posso tê-la em meus braços novamente.”

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

A pequena Mariah, nos braços da mãe e da avó

Ela contou que todo o pesadelo teve início logo depois do domingo de Páscoa, em abril passado, quando decidiu pedir o divórcio a Willians Venâncio Dolens, de 39 anos. Ele não aceitou a separação e fugiu com a filha e a mãe dele, de 67 anos. “Ele disse que se eu não ficasse com ele, não ficaria com a minha filha. Foi quando ele arrancou Mariah dos meus braços e fugiu com a ajuda da mãe dele”, relembrou.

Elza ainda contou que se casou com Willians em dezembro de 2016, depois de quase cinco meses de namoro. Eles se conheceram através da irmã dele, num consultório de dentista, onde trabalhava e, foi viver com o marido na fazenda, que é de propriedade da cunhada, na cidade de Espigão D'Oeste/Rondônia.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

"Só quero que siga a vida dele, como vou seguir a minha, agora junto da minha filha", disse Elza sobre o ex-marido

“Depois de casados, ele começou a apresentar comportamento agressivo. Era viciado em bebida alcoólica e drogas. Ele me batia e eu não podia fazer nada, pois ficava trancada dentro da fazenda e por isso não conseguia denunciar ele e nem a mãe dele, que também me agredia verbalmente. Ela nunca gostou de mim. Teve uma vez, que ela puxou uma faca e encostou na minha barriga, isso eu já grávida da Mariah. Foram dias difíceis até a separação e, então, ele tomou essa infeliz decisão de fugir com a nossa filha”, disse Elza Carolyne ao Diário Corumbaense.  

Perguntada se guarda mágoa do ex-marido, ela afirmou que não. “Espero que ele seja feliz, siga o caminho dele e que pague pelo que fez. Não desejo nada de mal, só quero que siga a vida dele, como vou seguir a minha, agora junto da minha filha e familiares e recuperar os momentos que ficamos separadas, como o Dia das Mães e o próprio aniversário dela, que já está no planejamento de uma grande festa de celebração”, declarou.

Já a avó de Mariah, Andreia Cardozo Albuquerque, que também estava emocionada por poder ver a felicidade da filha e por rever a neta, disse timidamente: “só temos que agradecer a Deus e aos policiais. Juro que chegamos a pensar que jamais poderíamos rever a minha neta, mas com a fé e muita oração, estávamos esperançosos. Quero aqui agradecer aos policiais pelo trabalho feito e a data de hoje ficará marcada como o nascimento de Mariah novamente”, falou.  

Prisão em Corumbá

Ação conjunta do Serviço de Inteligência da Polícia Civil de Presidente Prudente/SP, Agência de Inteligência da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul e equipe da Força Tática da PM de Corumbá, resultou na prisão de Willians Venâncio Dolens, de 39 anos, na manhã de quinta-feira (12). Ele foi preso na companhia da mãe dele, que também foi levada para a Delegacia de Polícia Civil.

Reprodução/Jornal Fronteira Notícias

Willians foi indiciado por subtração de incapaz

Willians Venâncio estava sendo procurado pela Justiça de Espigão D'Oeste/Rondônia, onde já havia sido expedido um mandado de prisão preventiva. Ele e a mãe vieram para Corumbá e alugaram uma casa, no bairro Maria Leite e depois de quase 60 dias de investigação, os policiais conseguiram prendê-lo. 

O pai de Mariah ainda tinha um mandado de prisão por posse ilegal de arma de fogo. Willians foi indiciado pelo crime de subtração de incapaz, que prevê pena de 2 meses a 2 anos de reclusão em caso de condenação judicial. A mãe dele, irá responder por favorecimento pessoal, sendo liberada após assinar compromisso de comparecer à audiência judicial.

PUBLICIDADE