PUBLICIDADE

Médico suspeito de cobrar por cirurgia no SUS também é denunciado por abuso sexual

G1 MS/TV Morena em 19 de Julho de 2019

O médico suspeito de exigir dinheiro de uma paciente do SUS para fazer uma cirurgia agora enfrenta a denúncia de abuso sexual. O relato partiu de uma mulher que mora em Corumbá. O médico foi denunciado pelo Ministério Público no mês passado e virou réu em um processo que corre em segredo de justiça.


A denúncia partiu de uma paciente de 35 anos. Ela gravou em 2015 a segunda consulta que teve com o médico Ricardo Chauvet em uma clínica municipal de saúde. A mulher tinha ficado incomodada com o comportamento do ginecologista no primeiro exame por causa de nódulos no seio.

 

"Ele apoiou na maca com as pernas abertas assim, e pediu para que eu ficasse de frente para ele. Me mandou levantar os braços de frente e mandou dar as costas. Aí pediu de novo para eu ficar de frente e, de novo, de costas. E nisso ele começou a me tocar por trás, né? Naquela eu fiquei... [...] Só que assim, você não tem reação na hora."

 

Com um celular na bolsa, ela voltou ao consultório. A imagem mostra a paciente de costas enquanto o médico toca os seios da mulher nua. O médico diz: "Mãos ao alto, tá? No alto; lá no teto, tá? Pode esticar seu braço, ficar de costas para mim. Solta bem o corpo, procure relaxar. Qualquer coisa que sentir é só falar,  bom? Vou forçar um pouquinho, ?"

A reportagem mostrou o vídeo para o vice-presidente da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia na região centro-oeste, Alex Bortoto, que afirma: "O exame de mama deve ser feito com a paciente sentada de frente para o médico. [...] Depois ela deita e faz a apalpação com ela deitada. Esse tipo de procedimento não existe. Não pode ser feito dessa forma", declara.

 

A paciente entregou a gravação à polícia. O promotor Fábio Adalberto Cardoso de Moraes explica por qual crime ele foi denunciado pelo MP. "O Ministério Público tipificou como violação sexual mediante fraude, o que é um crime previsto no código penal. Tem pena de 2 a 6 anos de reclusão."

 

Outra denúncia

 

Reprodução/Facebook

Ricardo Chauvet está afastado da rede municipal de saúde

Ricardo Chauvet foi flagrado em uma gravação de voz por uma paciente que precisava retirar um pólipo no útero. Ele cobrava R$ 1 mil reais pelo procedimento que seria feito pelo SUS o Sistema Único de Saúde, oferecido de graça à população.


Segundo o Ministério da Saúde, para os três procedimentos de retirada de pólipo do útero cobertos pelo SUS, os valores repassados aos hospitais variam de R$ 167 a R$ 173,33. Se o procedimento for feito em ambulatório, de R$ 22,62 a R$ 74.


Depois que a reportagem foi ao ar, Chauvet pediu afastamento do centro de saúde da mulher e três outras pacientes fizeram denúncias de cobranças indevidas por parte do médico. Outras duas ainda serão ouvidas pelo Ministério Público.


A reportagem tentou falar com o médico, mas ele não atendeu às ligações. Na última semana, Ricardo Chauvet tinha negado as acusações sobre a cobrança de dinheiro para operar uma paciente do SUS.


Investigação está sob sigilo

 

O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso do Sul (CRM/MS) declarou que já existe uma apuração disciplinar em relação ao médico e que a investigação tramita em sigilo, como determina o Código de Processo Ético Profissional.

 

A Santa Casa de Corumbá afirmou que a denúncia sobre a cobrança de dinheiro para realizar cirurgia está sob análise, e que aguarda o parecer da Comissão de Ética.

 

A Prefeitura de Corumbá declarou que um procedimento administrativo disciplinar segue sob sigilo e que, se for constatado o abuso sexual, o médico poderá ser desligado.


PUBLICIDADE