PUBLICIDADE

Pais de Valentim lidam com a perda do filho com ato de solidariedade

Leonardo Cabral em 24 de Abril de 2019

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Pais de Valentim, Bruno e Katiuscia, doaram fraldas para crianças da Cripam

“A passagem do nosso Valentim foi rápida, mas nos deixou uma lição muito grande, nos ensinou a cada dia o valor do amor e do olhar para o próximo”. Esse foi o desabafo de Bruno Adrison, que na tarde de terça-feira, 23, acompanhou a esposa, Katiuscia Fernandes da Costa, num momento difícil, mas também satisfatório para o casal. Eles resolveram doar as fraldas adquiridas para o primeiro filho, para as crianças do abrigo da Cripam - Casa de Acolhimento Institucional Marisa Pagge.

Ainda bastante emocionada, Katiuscia disse ao Diário Corumbaense, que tudo o que foi comprado para Valentim, que hoje não carrega nos braços, estão sendo doados, seja para as crianças do bairro onde moram ou para instituições que de fato precisam, como é o caso do abrigo da Cripam.

“Ele veio para tocar os nossos corações. Coisa material a gente conquista tudo novamente, por isso resolvemos doar para quem realmente necessita, como fizemos agora. Com esse gesto, me sinto aliviada, o coração fica mais leve. O meu Valentim veio mostrar o que é amor e que devemos nos preocupar com o próximo”, disse Katiuscia.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Doação irá ajudar por um mês as crianças assistidas pela instituição

Já o pai, Bruno, ressaltou que mesmo diante da situação de tristeza, pela perda tão rápida do filho, com toda certeza, Valentim deixou o seu exemplo. “Fico feliz em poder, junto com a minha esposa, ajudar o abrigo, onde conhecemos várias crianças. Esse gesto só vem a nos fortalecer para seguirmos nossa caminhada. Saímos daqui renovados por poder ajudar essas crianças. Que o caso de Valentim sirva pra isso, que tenhamos mais amor um pelo outro e a caridade seja mais cultivada entre as pessoas", afirmou ao lembrar que nesta quarta-feira (24) a perda do filho completa 40 dias.

O abrigo da Cripam atende atualmente oito crianças, sendo três meninas e cinco meninos, todos na faixa etária de 0 até 5 anos e 11 meses, que foram beneficiadas com cerca de 30 pacotes de fraldas.

Para a coordenadora do local, Ana de Amorim Padilha, o gesto do casal é de fato emocionante e a doação veio em boa hora. “É uma situação que tem dois lados, um pela tristeza da perda de Valentim, caso que comoveu toda a cidade e o outro é o fato de eles estarem trabalhando esse luto com a doação, com a preocupação com nossas crianças. Nós somos uma ONG (organização não-governamental) e vivemos de doações”, disse Ana Amorim.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Coordenadora do abrigo da Cripam, disse que doação veio em boa hora

Ainda conforme ela, a população de Corumbá é fundamental para manter a casa aberta. "Recebemos também doações de países como Espanha, Eslovênia e Itália, que são pessoas que se preocupam com a vivência dessas crianças. Essas fraldas vieram em um bom momento e vão suprir as necessidades das nossas crianças por um mês aproximadamente”, contou a este Diário.

Interessados em realizar doações ao abrigo da Cripam, devem procurar a direção da instituição, localizada na rua Antônio Maria Coelho, bairro Cristo Redentor, parte alta da cidade, próximo a escola Estadual Rotary Clube.

Relembre o caso Valentim

Com pouco mais de 8 meses de gestação, Katiuscia começou a sentir contrações e dores muito fortes por volta da 01h do dia 10 de março, e ainda apresentava um pequeno sangramento. Imediatamente, Bruno levou a esposa para a Maternidade de Corumbá e foi aí que começou o drama dos dois.

Foram quatro dias de idas e vindas à maternidade e até a uma clínica particular. Mesmo com Katiuscia de contorcendo de dor, três médicos que a atenderam, disseram que estaria "tudo normal" e foram liberados. No entanto, as dores não cessavam e Bruno resolveu entrar em contato com o médico responsável em acompanhar o pré-natal no começo da gravidez. "Ele sim nos tratou com humanidade, saiu de uma cirurgia no hospital e a atendeu na maternidade, mesmo não estando de plantão. Mas, infelizmente, às 16h do dia 14 de março, ele constatou que o bebê já não tinha mais batimentos cardíacos”. Valentim tinha 53 centímetros e pesava 3 quilos e 200 gramas.

A direção clínica da Santa Casa de Corumbá, cuja maternidade é setor integrante, informou que o Conselho de Ética apura o caso. 

PUBLICIDADE