PUBLICIDADE

Assalto a banco na fronteira desperta cidade ao som de tiros

Campo Grande News em 05 de Abril de 2019

Direto das Ruas/CG News

Porta de vidro da agência do Sicredi em Coronel Sapucaia, arrebentada a tiros durante assalto

Tiros de pistola semiautomática. Um breve silêncio. Em seguida, disparos sequenciais de fuzil e gritaria em vários pontos. Foi assim que acordaram na madrugada de hoje (05) os moradores de Coronel Sapucaia, cidade de 14 mil habitantes, localizada a 400 km de Campo Grande.

Atirando para todos os lados, pelo menos 20 bandidos fortemente armados e ocupando várias caminhonetes invadiram a cidade localizada ao lado do território paraguaio. Um grupo fechou a saída para Amambai, outro foi para a frente da delegacia de Polícia Civil onde apenas um agente estava de plantão e outro ficou em frente ao batalhão da PM para impedir a saída dos dois policiais de serviço.

Um carro da Prefeitura que deixava a cidade levando pacientes para atendimento médico em Dourados foi alvejado pelos tiros, mas ninguém ficou ferido.

O quarto grupo foi para a agência do Sicredi, localizada na rua José Guiomar, a 150 metros do Paraguai. A tiros, eles arrombaram as portas de vidro, estouraram janelas de blindex e invadiram a agência. Reviraram gavetas e salas e usaram um maçarico para arrombar o cofre. O valor levado ainda não é conhecido.

Em áudios enviados pelo aplicativo WhatsApp, os moradores narraram os momentos de pânico. Também gravaram o som dos tiros, que assustaram até a cidade acostumada com a guerra travada pelas quadrilhas da fronteira. Há vários anos, Coronel Sapucaia é apontada em relatórios de organismos nacionais como a cidade mais violenta de Mato Grosso do Sul.

Depois de consumado o assalto, a quadrilha fugiu para o lado paraguaio. Os bandidos deixaram a cidade sul-mato-grossense gritando e disparando tiros para o alto, comemorando o sucesso da “missão”.

Policiais do DOF (Departamento de Operações de Fronteira) chegaram logo cedo à cidade. O delegado regional adjunto da Polícia Civil em Ponta Porã,  Mikail Faria, também foi para Coronel Sapucaia, para acompanhar as investigações.

Peritos e equipes do Garras (Delegacia Especializa de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestro) são esperados na cidade para tentar identificar pistas deixadas pela quadrilha.

O assalto desta sexta-feira ocorre em plena Operação Ágata de Aço, iniciada nesta semana pelo Exército. A assessoria do Exército anunciou que a operação envolve 1.900 militares e membros de outras agências da segurança pública.

PUBLICIDADE