PUBLICIDADE

Após estudos, linhas de ônibus terão mudanças; fase experimental será em breve

Leonardo Cabral em 21 de Março de 2019

Anderson Gallo/Arquivo Diário Corumbaense

Algumas linhas sofrerão mudança nas rotas

Um estudo realizado pelo professor do Campus Pantanal da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, está propondo alterações nas rotas de algumas linhas de ônibus que circulam pelos bairros de Corumbá. Uma reunião entre representantes da Agência de Trânsito, da Viação Cidade Corumbá e da UFMS, foi realizada na quarta-feira, 20 de março, na sede da instituição superior, para tratar do assunto. O objetivo da reunião foi analisar as propostas de alterações feitas pelo professor Renato Camara, nas rotas do Guanabara, Guatós, Cristo Redentor, Popular Velha e Popular Nova.

Conforme informações repassadas pela Agetrat, o estudo foi feito por sugestão dos próprios usuários do transporte coletivo, sendo que em diversas situações, os pedidos foram absorvidos pela empresa após reclamações dos passageiros.

"A ideia é abranger um campo maior de atuação sem que aumente a quilometragem, ou seja, com essas mudanças o tempo de espera nos pontos irá diminuir e locais, onde existe hoje uma demanda maior de usuários, serão atendidos com maior intensidade pelos ônibus", explicou o responsável pelo estudo, Renato Camara.

Fase experimental

Assim que a fase experimental for implantada, a linha Guanabara irá dar um suporte em trechos que a linha Guatós tem dificuldade em atender a demanda em determinados horários. Em alguns trechos o retorno do ônibus Guanabara não irá percorrer o mesmo caminho da subida, outros pontos dos bairros da parte alta terão ônibus, como por exemplo, as proximidades da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Divulgação/Agetrat

Reunião aconteceu na sede da UFMS

A mudança das linhas Cristo Redentor e Popular Velha serão mais significativas e positivas para o usuário. Do transbordo até o último ponto do conjunto Vitória Régia, o trajeto será o mesmo. A diferença será na volta, quando o coletivo irá seguir direto pelo Previsul até alcançar o ponto da Popular Velha, percorrendo o trajeto até retornar ao transbordo. O ponto positivo é que os alunos do IFMS terão mais essa opção de trajeto e o Hospital da Cassems terá uma linha passando na esquina.

A linha Popular Velha também percorrerá normalmente até certo ponto, fazendo o trajeto contrário ao do Cristo Redentor a partir do Vitória Régia. Essa mudança específica está sendo vista como integralmente benéfica, pois não mudará nenhuma parte do trajeto e diminuirá significativamente o tempo de espera tanto nos pontos da linha Cristo Redentor quanto da Popular Velha.

Empresa

Para o Gerente da Empresa Viação Cidade Corumbá, Youssef Iunes, a fase de experimento são melhorias que há tempos estão sendo estudadas junto a UFMS e agora finalmente foram apresentadas à Agetrat.

“O objetivo único é melhorar o serviço e atender necessidades que os próprios clientes da empresa sugeriram. São pessoas que todos os dias fazem uso de nossos serviços e precisavam ser ouvidas. Toda mudança gera uma estranheza inicial, mas a partir do momento que os usuários percebam os benefícios de esperar menos tempo no ponto e até mesmo perceberem que o tempo de viagem diminuiu, eles serão os primeiros a aprovarem", garantiu Youssef.

A linha Popular Nova também terá alguns ajustes, que serão divulgados em breve pela empresa e pela Agetrat, que fez um acordo de inicialmente fazer um período experimental das mudanças, antes da efetivação.

"Nos próximos dias, após a entrega e despacho de documentos, iremos dar início à prática, logicamente com um trabalho informativo e educativo bem intenso a fim de gerar o mínimo de prejuízo a quem é o maior interessado, a população”, falou Alexandre Vasconcellos, diretor-interino da Agência de Trânsito, ao reforçar que os órgãos irão divulgar os mapas com as mudanças que devem ocorrer nos próximos 15 dias ou o mais tardar em um mês. Com informações da Agetrat. 

Comentários:

Mauro Andrade de Assis: E quando será que vamos começar a especular um terminal de transbordo de verdade? A população merece um terminal próprio e adequado depois de tantos anos...

PUBLICIDADE