Fifa elogia critério dos cartões e descarta sorteio para definir mata-mata da Copa

Globoesporte.com em 29 de Junho de 2018

Os toques de lado para esperar o tempo passar enquanto a torcida vaia não incomodam a Fifa. As seleções que escalam times reservas para não vencer um jogo e assim evitar rivais mais fortes em fases futuras tampouco. O diretor de competições e eventos da entidade, Colin Smith, disse nesta sexta-feira que está satisfeito com a "competitividade" da Copa do Mundo da Rússia, apesar das cenas vistas em jogos como França 0 x 0 DinamarcaJapão 0 x 1 Polônia e Bélgica 1 x 0 Inglaterra.

Martín Fernandez

Colin Smith (D) diz que está satisfeito com competitividade da Copa do Mundo da Rússia

"Ninguém quer perder, nenhum time, nenhum técnico. Foram casos isolados. Sim, houve isso nos últimos minutos de alguns jogos, mas porque os resultados serviam para esses times. Nós acreditamos que os fãs pagam ingressos para verem jogos competitivos. E é isso que estamos vendo aqui", disse Smith, que é inglês.

O cartola disse ainda ser impossível fazer um sorteio para definir as oitavas de final da Copa do Mundo, "por dificuldades logísticas". Seria impossível planejar os deslocamentos de tantos times e torcedores num tempo tão curto, além de haver grande diferença no tempo de descanso das seleções dos diferentes grupos.

Smith também defendeu o número de cartões amarelos como critério de desempate na fase de grupos. O Japão foi a primeira seleção da história das Copas a conseguir sua classificação dessa maneira – teve os mesmos quatro pontos que Senegal, os mesmos quatro gols marcados e os mesmos quatro gols sofridos. Mas avançou por ter levado menos amarelos (quatro) do que os africanos (seis).

"Tudo o que nós queremos é que as vagas sejam definidas dentro de campo. Fair play é um pilar da Fifa, é algo em que nós acreditamos, por isso introduzimos este critério para esta Copa do Mundo e estamos satisfeitos com isso. Depois do fim da Copa, vamos avaliar".

PUBLICIDADE