Daiji aponta que crianças e adolescentes são maioria das vítimas de estupros em Corumbá

Ricardo Albertoni em 09 de Maio de 2018

Divulgação/Polícia Civil

Delegado Rodrigo Blonkowski, titular da Daiji durante palestra de orientação

Durante lançamento das atividades alusivas ao “Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual”, no dia 18 de maio, palestra com o tema “Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes: Identificação e Enfrentamento”, foi ministrada pelo delegado Rodrigo Blonkowski, titular da Daiji (Delegacia da Infância, Juventude e do Idoso). As ações são realizadas pela Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social.

Participaram do evento de lançamento, autoridades do Executivo Municipal, do Legislativo, representantes do Exército Brasileiro e Marinha do Brasil, além de educadores e alunos da rede municipal de ensino.

As palestras fazem parte de ações executadas pela Polícia Civil que têm por objetivo conscientizar e mobilizar a população sobre o grave problema da violência praticada contra crianças e adolescentes, com ênfase para a prevenção e o enfrentamento dos casos de abuso e exploração sexual, bem como visando aperfeiçoar e articular uma rede de proteção aos direitos infanto-juvenis. 

Ao Diário Corumbaense, o delegado Rodrigo Blonkowski informou que os casos de estupro de vulnerável em Corumbá, estão acima da média nacional e preocupam. Por isso, a importância do trabalho de orientação da população voltado para a identificação das vítimas, que na maioria das vezes, sofre a violência por membros da própria família.

“No ano de 2017 foram registrados em Corumbá 36 casos de violência sexual envolvendo crianças e adolescentes, ou seja, estupro de vulnerável. Em 2018, até agora, já são nove casos, oito autores se encontram presos e um caso envolve adolescente infrator que não teve a internação determinada pelo Poder Judiciário. Desses nove casos, chama a atenção o envolvimento de pessoas do núcleo familiar, ou próximo da família. Pais, padrastos, tios, irmãos. Desses nove casos, seis foram praticados por pessoas próximas à vítima", afirmou.

O delegado reforçou que em Corumbá, o estupro de vulnerável ocorre acima da média nacional, onde em 40% dos casos de estupro, as vítimas são crianças e adolescentes, ou seja, a cada 10 casos, 4 são de estupro de vulnerável. Em Corumbá, essa média facilmente ultrapassa os 80%”, informou Blonkowski ao Diário.

Segundo o titular da Daiji, a Delegacia de Atendimento à Infância, Juventude e Idoso está atenta ao crescimento desses casos e qualquer denúncia ou suspeita de abuso ou exploração sexual contra crianças e adolescentes deve ser imediatamente repassada à Daiji, localizada na rua Major Gama, 290, Centro, (antigo Fórum). O telefone é (67) 3234-9900.

PUBLICIDADE