Corumbá conta com doze salas de vacinação com atendimento diário

Fonte: Assessoria de Comunicação da PMC em 03 de Maio de 2018

Divulgação

Salas de vacina funcionam em Unidades Básicas de Saúde

A Prefeitura de Corumbá disponibiliza para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) diversos tipos de vacinas. Enviadas pelo Ministério da Saúde conforme a necessidade local, as doses são administradas por profissionais qualificados para a função que avaliam qual tipo de vacina deve ser aplicada no interessado pela imunização. Os moradores da cidade contam com doze salas de vacina localizadas em Unidades Básicas de Saúde (UBS). Qualquer pessoa cadastrada no SUS pode usufruir do serviço, sendo morador da cidade ou estando apenas de passagem.

Caso recente de tétano acendeu o alerta da Secretaria Municipal de Saúde para os moradores ficarem atentos à atualização da carteira de vacinação. Luciana Ambrósio, responsável pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) em Corumbá, frisou que a vacinação contra tétano é eficaz depois de três doses, sendo renovada a cada dez anos com uma dose. “As três doses da vacina contra tétano são aplicadas na infância, mas se o adulto não tem certeza que foi vacinado quando criança, ele precisa ficar atento a isso. Depois das três doses, a vacina deve ser reforçada a cada dez anos”.

Além da vacina contra tétano e difteria (aplicada em conjunto), os adultos precisam ficar atentos à atualização da carteira de vacinação com relação à Hepatite B (se nunca foi vacinado), Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola) e Febre Amarela (aplicada apenas uma vez na vida). Responsáveis por crianças e adolescentes também precisam ficar atentos. Nas salas de vacina, eles podem receber orientações sobre quais doses esses menores de idade devem tomar e com qual idade é necessária a aplicação.

Horário de funcionamento

Em Corumbá, o horário de funcionamento das salas de vacina é diferenciado. Enquanto as UBS atendem das 07h às 11h e das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira, o público pode ser vacinado no horário das 07h30 às 10h30 e das 13h30 às 16h30. Isso porque essas salas têm peculiaridades e as vacinadoras devem seguir estritamente os protocolos para que as doses estejam sempre em condições de uso.

A enfermeira Maria Leatrice Bechuate, coordenadora de Atenção Básica do Município, explicou que as vacinas devem ser mantidas na temperatura entre 2°C e 8°C. Cada sala de vacina conta com geladeira para armazenamento e uma caixa de isopor. Vacinadoras chegam ao trabalho às 07h e no período de aproximadamente 30 minutos preparam o isopor com gelox (barras em gel que mantém a temperatura por mais tempo). Depois de esperar um tempo e verificar se a temperatura está no ponto certo, essas profissionais retiram uma quantidade de doses da geladeira e colocam no isopor.

“A norma segue protocolo do Ministério da Saúde para que durante o atendimento a geladeira não fique sendo aberta o tempo todo, já que lá dentro está o estoque de vacinas que, por sinal, são bastante caras”, afirmou Leatrice. Por volta das 10h30, o atendimento deve ser encerrado para que as doses possam ser verificadas e recolocadas na geladeira, já que no horário de almoço elas não podem permanecer no isopor para não estragarem. O mesmo procedimento é realizado no período da tarde.

Além disso, a vacinadora, ao chegar ao local de trabalho, precisa avaliar a temperatura em que estava a geladeira, verificar se tudo está certo para poder iniciar a atividade. “Se a temperatura tiver diminuído para menos de 2°C ou subido para mais de 8°C, ela tem que ver o que está acontecendo porque algumas vacinas não podem congelar de jeito nenhum e não podem passar dois 8°C. Se tudo estiver correto, então, é iniciado o procedimento com o isopor e o gelox”, explicou Maria Leatrice.

Diferente do atendimento nas Unidades Básicas de Saúde, onde cada morador é atendido na UBS da região onde mora, não existe área de salas de vacina. Pacientes podem ser vacinados em qualquer sala de vacina disponível. Além das 12 salas existentes na zona urbana, uma vacinadora está a cada semana em um local diferente da zona rural de Corumbá para atender toda essa região.

Na cidade, salas de vacina estão disponíveis em doze Estratégias Saúde da Família, que são: Beira Rio, Breno de Medeiros, Ênio Cunha I, Fernando Moutinho, Gastão de Oliveira, Humberto Pereira, Lúcia Maria, Luís Fragelli, Nova Corumbá, Padre Ernesto Sassida, Pedro Paulo II e Popular Velha.

PUBLICIDADE