Operário denunciou Sete por escalação irregular de jogador visando vantagem, diz advogado

Ricardo Albertoni em 21 de Março de 2018

Noé Faria

Gustavo Rosolem atuou nos dois primeiros jogos do Sete na temporada

Após o Costa Rica ser punido por escalação irregular de jogador, o Novo acabou “herdando” a vaga para a fase de mata-mata, e agora o Sete corre o risco de prejuízo na competição. O time de Dourados foi denunciado pelo Operário na última segunda-feira pela mesma situação ocorrida com o CREC. O “Galo da Capital” alega que o jogador do “Furacão Tricolor” Gustavo Rosolem foi utilizado irregularmente no início do Campeonato Estadual.

Até esta quarta-feira, 21 de março, dia da primeira partida do confronto da semifinal do Estadual de 2018, o Tribunal de Justiça Desportiva ainda não se pronunciou se vai acatar ou não o pedido da equipe de Campo Grande.

De acordo com o site Gazeta MS, o caso é semelhante ao que envolveu o Costa Rica, punido pela utilização do jogador Paulinho nos primeiros três jogos. O lateral deveria cumprir quatro jogos de suspensão, porém, ficou de fora apenas de um, por causa da suspensão automática ficando devendo três jogos para futuras competições promovidas pela FFMS.

Conforme o site de Dourados, Rosolem, que se transferiu para o Fluminense de Feira-BA após o segundo jogo do Sete deste ano, teria sido escalado irregularmente na primeira partida do time douradense na competição estadual de 2018. O atleta foi expulso na partida de ida do confronto contra o Comercial em 2017, cumpriu suspensão automática no jogo de volta e continuou atuando. O julgamento aconteceu somente após o término do campeonato e foi definido que ele precisaria cumprir dois jogos de suspensão. Como não disputou a Série B no estado por nenhuma equipe, deveria ter ficado fora do jogo de estreia do Sete, contra o Urso de Mundo Novo, dia 18 de janeiro, o que não aconteceu.

A intenção do  Operário, segundo o advogado do time, Rafael Meirelles, é derrubar a vantagem da equipe douradense em relação ao clube."O Sete utilizou um atleta irregular e por isso teve vantagem sobre os adversários. Nosso objetivo não é excluir o time da competição, mas que as vantagens obtidas sejam então repassadas ao Operário", afirmou Meirelles.

Em postagem em rede social, Tony Montalvão, um dos principais gestores do Sete, confiante na não punição da equipe douradense, afirmou que o atleta não foi utilizado irregularmente. “Sete de Dourados entende que o atleta cumpriu a punição e está tranquilo em relação a isso. Irá aguardar até porque não temos nada a temer", postou.

Se nenhuma mudança ocorrer, Sete e Operário fazem a primeira partida do confronto da semifinal nesta quarta-feira (21) às 20h45 no Morenão. Por ter melhor campanha, a equipe douradense tem a vantagem do empate e de fazer a segunda partida em casa no domingo, 25 de março.

Na outra semifinal, o Corumbaense joga amanhã (22) também no Morenão contra o Novo. O “Galo Pantaneiro”, assim como o Sete, só precisa de um empate nos dois jogos para disputar a grande final do estadual. O segundo jogo acontece no estádio Arthur Marinho, na no dia 28 de março. Com informações do site Gazeta MS.

PUBLICIDADE