Foto mostra acusado de roubos na Bolívia atravessando fronteira com Corumbá

Lívia Gaertner em 28 de Fevereiro de 2018

A fotografia de um homem aguardando atendimento para procedimento migratório na fronteira entre Brasil e Bolívia, nas cidades de Corumbá e Puerto Suárez, viralizou no dia de hoje, 28 de fevereiro, pelas redes sociais bolivianas.

A cena que se repete na fronteira não chamaria tanto atenção, já que acontece rotineiramente na região, entretanto os comentários nas redes sociais atribuem que o homem flagrado pelo clique é um dos três acusados de roubos a condomínios na cidade de Santa Cruz de la Sierra.

Identificado pelas iniciais P.B, o homem é acusado de cometer roubos em condomínios da capital cruceña. O ato criminoso que mais repercutiu e foi atribuído ao trio aconteceu no dia 03 de janeiro numa residência do condomínio “La Hacienda”, localizado na região do quinto anel da avenida Beni,  onde a proprietária alega até hoje não ter recuperado seus bens que foram roubados durante sua ausência devido a uma viagem. Na oportunidade, os ladrões levaram um cofre com 20 mil dólares, 57 mil bolivianos, joias e documentos.

Reprodução/El Deber

Nas redes sociais, imagem de homem na foto é atribuída a um dos acusados de roubos em Santa Cruz de la Sierra

No último dia 23 de fevereiro, a Polícia Boliviana anunciou que havia capturado os ladrões. Um trio foi detido quando, de acordo com as forças policiais, estaria supostamente planejando mais um assalto. Junto a eles, também foi apreendida uma arma de ar comprimido. Os três envolvidos confessaram em vídeos o roubo ocorrido na casa do condomínio La Hacienda e levaram os policiais até onde esconderam o cofre, que foi apreendido como prova.

Entretanto, ontem, o promotor Freddy Larrea questionou o procedimento policial ao afirmar que não houve a presença de nenhum membro do Ministério Público durante o depoimento dos acusados tampouco durante a coleta do cofre. Acrescentou ainda que há relatórios forenses que afirmam que o trio foi submetido a atos vexatórios e torturas. “Ninguém está afirmando que são inocentes ou culpados, mas a forma como as provas foram obtidas”, afirmou o promotor Freddy Larrea, segundo o jornal El Deber.

Devido a esse fato, o trio foi solto e citado para comparecer a Justiça nesta segunda-feira, 26, para novos depoimentos, porém apenas um deles cumpriu o determinado pelas autoridades.

Até o final da tarde desta quarta-feira, 28, nenhuma autoridade policial da Bolívia confirmou se há registro de  fuga de algum dos acusados, entretanto também foi marcada para a mesma tarde uma coletiva de imprensa com a Promotoria Geral de Estado para detalhar  mais sobre o suposto caso de tortura na obtenção da confissão do trio sobre os roubos a ele atribuído.

 

PUBLICIDADE