Um desfile para falar de gratidão: A Pesada traz a Cidade Dom Bosco para a avenida

Lívia Gaertner em 24 de Janeiro de 2018

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

No barracão, trabalho de aderecistas é intenso para confeccionar cerca de 1200 fantasias

O que tem em comum um projeto social com quase 60 anos de existência e um das mais antigas escolas de samba de Corumbá? A resposta está no título do enredo do carnaval 2018 de A Pesada, escola criada em 1970, e que, assim como o projeto Cidade Dom Bosco, sobrevive através do amor ano após ano.

“A gente não buscou fazer estilo retrospectiva, a intenção mesmo é mostrar a parte do trabalho social com crianças e adolescentes, além da Educação”, comentou ao Diário Corumbaense o carnavalesco Marcus Rorras ao explicar como a agremiação contará a trajetória do projeto social idealizado pelo saudoso padre Ernesto Sassida e que transformou Corumbá ao longo de gerações.

“Aqui mesmo temos muitos diretores e integrantes que são ex-alunos da Escola Dom Bosco, que trazem fortemente essa relação com todo esse projeto, hoje, coordenado pela Missão Salesiana de Mato Grosso”, lembrou Marcus ao afirmar que a proposta de homenagear o projeto mantido pela ordem católica foi bem aceita no meio religioso.

“A Igreja percebeu que nossa intenção é homenagear de uma forma respeitosa, agradecendo mesmo por tudo o que o padre Ernesto e seus apoiadores fizeram pela cidade e ainda fazem com a manutenção do projeto Cidade Dom Bosco”, declarou o carnavalesco.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Marcus Rorras estreia como carnavalesco na Pesada em 2018 e afirma que enredo é desafiador

Rorras assumiu o trabalho de coordenar e comandar as equipes na criação da escola após sete anos como aderecista dentro da Pesada. Ele confessou a este Diário que está sendo um grande desafio a função de carnavalesco tanto pelo tema que tem uma vasta história e mexe com o emocional de milhares de corumbaenses quanto por ser sua primeira experiência de idealizar e concretizar todo um desfile.

O enredo “Cidade Dom Bosco, o Reino do Amor” traz uma carga tão sentimental que a escola, considerada uma das grandes entre as dez que integram a Liesco (Liga Independente das Escolas de Samba de Corumbá) ampliou ainda mais seu desfile para tentar reunir o maior número de pessoas que procuram o barracão em busca de uma ala para desfilar na escola que irá homenagear as ações sociais iniciadas no ano de 1961, pelo padre Ernesto Sassida, no antigo bairro Cidade Jardim, considerado um dos mais carentes da cidade na época.

O antigo Cidade Jardim, hoje, se transformou num dos mais bem dotados de estrutura e leva o nome de Dom Bosco justamente pela obra social do padre missionário que nasceu na Eslovênia, mas decidiu fixar moradia em Corumbá onde viveu até seus últimos dias no ano de 2013.

Segundo o carnavalesco, A Pesada subiu de 12 em 2017 para 18 este ano, o número de alas. Num apanhado geral da escola, cerca de 1.200 pessoas deverão passar pela avenida junto com o enredo deste ano, tornando-se assim uma das mais volumosas na passarela do samba em 2018. Somente na bateria, comandada pelo mestre João Victor Ibarra, estão previstos 100 ritmistas que terão à frente a rainha Sâmya Cristine.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Sob supervisão de carnavalesco, aderecistas confeccionam elementos que irão compor o desfile

Além da escola Dom Bosco, os projetos Adoção à Distância; Criança e Adolescente Feliz, Sino da Caridade e o Centro Profissionalizante estarão representados na passagem da Pesada pela passarela do samba, garantiu o carnavalesco ao destacar ainda que a tradicional “ala das crianças” não será deixada de fora da apresentação.

“Em carnavais passados, A Pesada optava por enredos com temáticas infantis e sempre trouxe as crianças junto, o que se tornou uma característica e nesse desfile não será diferente. Ainda mais se lembrarmos da grande quantidade de crianças e jovens que a Cidade Dom Bosco assistiu ao longo dessas décadas”, lembrou.

Sobre o samba composto por Victor Raphael, Ailson Renan e Willian Tadeu, uma curiosidade revelada por um dos compositores. Um dos versos que diz "Música saudosa lá do meu barracão" reproduz música, espécie de hino, que alunos da Cidade Dom Bosco cantavam sob "regência" do padre Ernesto.

A Pesada é uma das dez escolas de samba de Corumbá que irão concorrer na 9ª edição do Esplendor do Samba, que em 2018 irá indicar 3 nomes por quesito e melhor escola de samba durante as duas noites de desfile. O prêmio, instituído pelo jornal Diário Corumbaense tem o objetivo de homenagear aqueles que fazem o carnaval da cidade ser um dos maiores e mais animados do País.

Grêmio Recreativo Escola de Samba "A Pesada"

Fundação: 06/01/1970

Presidente: Neydival Colombo

Cores: branco, azul, rosa e amarelo

Carnavalesco: Marcus Rorras

Enredo: “Cidade Dom Bosco, o Reino do Amor”

Compositores do samba-enredo: Victor Raphael, Ailson Renan e Willian Tadeu

Intérprete: Ninho Samba Bom

Número de componentes: 1200

Número de alas: 18

Número de carros alegóricos: 05

Componentes da bateria: 100

Porta-bandeira: Franciely

Mestre-sala: Robson

Rainha da bateria: Sâmya Cristine

Mestre de bateria: João Victor Ibarra

Local de ensaios: Ladeira Cunha e Cruz, sem número

Colocação em 2017: 4ª colocada no grupo Especial, com 158,8 pontos

Ordem de desfile em 2018: 3ª a desfilar no dia 11/02 (domingo)

Informações sobre fantasias: (67) 9-9851-0845

 

GRES A Pesada

Samba-enredo: “Cidade Dom Bosco, o Reino do Amor”

Autores: Victor Raphael, Ailson Renan e Willian Tadeu

Pisa forte nesse chão... Pesada

Faz a festa dessa gente feliz

Cidade Dom Bosco, o Reino do Amor

Da sua história sou eterno aprendiz

 

Viagem na lembrança

Vou recordar...

Em pleno Pantanal essa aventura

O jovem sacerdote a idealizar

Música saudosa lá no meu barracão

Um canto que falou de gratidão

Escola Alexandre de Castro

Era a semente germinando nesse chão

 

Pelas trilhas da fé... o coração

Padre Ernesto Sassida, nos ensinou

O sistema com razão, e religião

Que a comunidade abraçou

 

Pela Missão

De Mato Grosso a cidade construiu

A sua trajetória pelo social

Virou exemplo pro Brasil

Ao pobre irmão

Os braços não vão se cruzar

Mais de um século de histórias

Foram formados nesse lugar

A mensagem em oração

De São João Bosco ecoou em Corumbá

Óh berço tão querido

Salesiano em nosso coração

 

Comentários:

Jocilene Costa: Tomara que não se esqueçam de homenagear minha saudosa avó Dona Catarina Anastácio Cruz. Ela que se esforçou com toda garra que tinha e sempre pensando em fazer o bem , para conseguir uma escola no bairro Cidade Jardim que como citado no texto era carente e na época não havia escola para as crianças do bairro. Ela cedeu uma parte da sua casa para ser sala de aula. Neste humilde barracão na rua Marechal Deodoro, teve início a Escola Dom Bosco, hoje Cidade Dom Bosco. Tenho muito orgulho de ter o sangue guerreiro da minha maravilhosa avó Dona Catarina!!!!!!!

PUBLICIDADE