Presos em Chapadão do Sul acusados de matar e enterrar corpos de casal em Corumbá

Rosana Nunes e Ricardo Albertoni em 18 de Dezembro de 2017

Divulgação

Acusados do duplo homicídio, estavam foragidos desde 24 de novembro, quando corpos foram encontrados

Presos nesta segunda-feira, 18 de dezembro, em Chapadão do Sul, distante pouco mais de 761 quilômetros de Corumbá, Rita de Cássia Ledesma, de 23 anos, e Diego Antônio da Silva, o Diego Antonny, 25 anos, acusados dos assassinatos de Paulo Mariano Pinto, de 58 anos, e da mulher dele, Marilene Ledesma Ferreira, de 53 anos, mãe de Rita. 

Os dois estavam foragidos desde o dia 24 de novembro, após o duplo homicídio ser descoberto por familiares, que estavam sem notícia do casal há aproximadamente quinze dias. Eles foram até a residência, no Loteamento Pantanal, arrombaram a porta e encontraram os corpos enterrados e em avançado estado de decomposição, na varanda da casa. Marilene levou três facadas enquanto Paulo foi morto com uma facada nas costas. 

Divulgação

Rita e Diego estavam em um hotel de Chapadão do Sul

Depois do crime, cuja motivação seria porque a mãe de Rita não aceitava o relacionamento, os dois acusados venderam pertences do casal e fugiram, passando provavelmente por outras cidades. Ao Diário Corumbaense, o investigador Hélton Cavalheiro, disse que Rita e Diego foram reconhecidos em um mercado de Chapadão e acabaram denunciados. Equipes da Polícia Civil e da Polícia Militar prenderam os dois em um hotel. A filha de Rita, de três anos de idade, estava com eles e foi encaminhada ao Conselho Tutelar. 

Com os acusados, também foram encontradas as carteiras de identidade das vítimas e há a informação de que os celulares de Marilene e Paulo teriam servido de pagamento das diárias do hotel. 

O delegado titular do 1º Distrito Policial de Corumbá, Pablo Gabriel Farias, que está à frente do inquérito do duplo homicídio, informou que os acusados irão prestar depoimento e não confirmou se irá pedir a transferência de Rita e Diego para a cidade. Eles já são indiciados por homicídio qualificado por motivo fútil, ocultação de cadáver e furto qualificado. (matéria editada para atualização de informação)

Divulgação

Documentos de identidade das vítimas estavam com o casal

Comentários:

Ana Geise da Silva Arruda: Parabéns a pessoa que fez a denúncia e a polícia que fez a prisão. Agora aguardo o julgamento desse casal que assassinou uma amiga de infância de forma cruel. Espero também que haja arrependimento por parte dos assassinos e que Deus os guies iluminando suas mentes e corações. E o mais importante, que Deus abençoe as famílias de Marilene e Paulo.

PUBLICIDADE