Quase 2 anos depois, taxímetros são vistoriados pelo Inmetro em Corumbá

Marcelo Fernandes em 25 de Julho de 2013

Depois de quase dois anos sem aferição dos taxímetros, a frota de táxis de Corumbá passou por verificação do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). A última vistoria havia acontecido em outubro de 2011.

Ao longo de toda a semana - o serviço começou no dia 22 de julho e terminou nesta quinta-feira, 25 - três técnicos do Instituto realizaram a ação que verifica se o equipamento instalado está em condições de garantir cobrança justa de preço, de acordo com o quilômetro rodado.

Fotos: Anderson Gallo/Diário Online

Após verificação, Instituto revalida o selo; o lacre e libera o táxi para circular

Para que o taxista obtenha a aprovação do Inmetro também é necessário que o carro apresente rodas em boas condições, além da correta marcação tarifária. O tamanho dos pneus também tem que bater com o número indicado no aparelho. Somente após essa aprovação é que o Instituto revalida o selo; o lacre e libera o táxi para circular.

A verificação consiste num percurso de um quilômetro - com o fiscal e o taxista. Na ida vai com bandeira 1 (destinada ao serviço diurno) e na volta com bandeira 2 (serviço noturno). A utilização das duas bandeiras é para conferir se a contagem do taxímetro do veículo está correta. Nesse trajeto, são avaliados os valores gerados com a utilização das taxas aplicadas em cada bandeira.

Hoje, a frota de táxis de Corumbá é de 92 veículos e são 180 os taxistas. O quilômetro rodado custa R$ 2,10 na bandeira 1 e R$ 3,10 na bandeira 2. Os veículos que não passaram por aferição do Inmetro deverão fazer a inspeção em Campo Grande. Ao todo, 107 táxis foram vistoriados pelo Instituto Nacional de Metrologia. O total inclui a frota de Ladário.

A multa por não ligar taxímetro durante a corrida é de R$ 127,69 e acúmulo de 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e apreensão do documento do carro.

Uso é obrigatório

Diretora-presidente da Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat), Silvana Ricco Ortiz, destacou que as verificações são anuais e que o uso do taxímetro é obrigatório. "Será constante sim. O Inmetro virá todo ano para fazer essa aferição. O taxímetro tem uso obrigatório, sempre foi. A desculpa que estava com problema não tem mais porque o Inmetro está aqui desde o dia 22 para fazer essa aferição", afirmou a este Diário.

Uso do taxímetro em corridas é obrigatório

Silvana disse também que o usuário do serviço que se sentir lesado por conta da não utilização do taxímetro pode denunciar o caso para a Agetrat. "Tem que ser feita denúncia junto a Agetrat, nossos telefones são o 3907-5452 e o 3907-5099. Anote a placa, o horário, o veículo e nos informe para que possamos fiscalizar e penalizar pela infração que está cometendo", complementou a diretora.

Comentários:

Wagner Luis Weber: Alvíssaras! Fi-nal-men-te! E olhem que há muito taxista por aí que nem nome de rua sabe....

PUBLICIDADE