PUBLICIDADE

Astróloga garante que o mundo não irá acabar; entenda

Fonte: Eunice Ferrari - astróloga em 11 de Dezembro de 2012

Tenho recebido inúmeros e-mails de brasileiros e portugueses desesperados com a possibilidade de o mundo acabar em 21 de dezembro de 2012, último dia marcado no calendário Maia.

As datas marcadas para o final dos tempos sempre mobilizam parte da população e acabam mexendo com os menos felizes e inadaptados neste nosso mundo. Para muitos, esta é uma data que deve ser temida, para outros um dia para aguardar com esperança e reverência. E é incrível como essas datas mexem com o imaginário humano, a ponto de prepararem-se para esse dia como se fossem fazer mesmo uma longa viagem. Sinto decepcionar os mais infelizes, mas fico feliz em alegrar os mais assustados, pois no dia 21 deste mês, o mundo não vai acabar.

Muitas teorias tentam tirar a paz de alguns e trazer uma ansiedade quase patológica a outros, justificando esse final. A primeira delas é a inevitabilidade de uma possível colisão com um planeta que teria um tamanho quatro vezes maior que a Terra e que, mesmo assim, nunca foi visto por ninguém.

A segunda é a atividade solar que aumenta em forma de tempestades. Esse fenômeno é esperado cientificamente e acontece porque o Sol passa por ciclos de maior ou menor atividade. Já a terceira é a mudança dos pólos da Terra, que cientificamente é um evento que ocorre de maneira lenta e progressiva. Mas essa brusca mudança dos pólos é impossível de acontecer porque a Lua, nosso satélite, estabiliza a rotação do nosso lindo planetinha azul.

E, por fim, a quarta é o alinhamento planetário que, como astróloga, posso afirmar que está muito longe de indicar o final de um mundo como o nosso. Tudo começou com a suposta profecia do Calendário Maia que em nada tem a ver com o nosso. Nós, humanos, vivemos um mundo interno e outro externo, emocionalmente falando, em que as mudanças e finalizações nos remete a pensamentos de catástrofes e tragédias, ingênuos que somos em ainda pensar que as coisas desta vida são permanentes.

Enquanto o homem estiver preso na permanência não conseguirá alcançar um estado de felicidade. O mundo e a vida são transitórios, diariamente mutáveis e, enquanto não introjetarmos essa verdade em nosso inconsciente, viveremos dessa maneira, desesperados a cada ciclo que finaliza. É possível que o dia 21 marque a finalização de um ciclo, mas, honestamente, eu acredito que já estamos em meio a esta finalização há alguns bons anos.

Se fizermos um balanço de como era nossa vida, nossos valores, nossa maneira de nos relacionarmos e nossas ambições pessoais há 15 anos, poderemos enxergar que tudo, absolutamente tudo, mudou. Estamos, sim, passando pela finalização de um ciclo, mas de um ciclo longo que os indianos chamam de Kali Yuga, um ciclo negro que marca a mudança de uma Era para outra, regido pela deusa Kali, a deusa da destruição e do renascimento.

Estamos com um pé na Era de Peixes e outro na Era de Aquário e vivemos um momento que nós, ocultistas, chamamos de "A noite negra da alma". É exatamente por isso que, para uns, o final do mundo deixa de ser algo a se temer e passa a marcar uma renovação da esperança. Todos passamos por momentos de dificuldades e sofrimentos, marcado por perdas, doenças, mortes. Mas afirmo com propriedade: o mundo não acaba no dia 21.

Vamos todos curtir nossas árvores de Natal, nossas famílias e nossos amores, como fazemos todos os anos e, focados em nossos planos e projetos futuros, vamos todos nos preparar para um ano de Saturno, nosso grande pai, que começa em março de 2013.

Um Feliz Natal e um início de ano carregado de alegrias, porque todos nós merecemos!

Eunice Ferrari - astróloga

 

PUBLICIDADE