PUBLICIDADE

Fogo já consumiu mais de 1,3 milhão de hectares no Pantanal de MS e MT

Leonardo Cabral em 28 de Setembro de 2021

Divulgação Prevfogo

No Pantanal de MS já foram consumidos 965.150 hectares

Corumbá e Ladário vêm sofrendo consequências dos incêndios que seguem destruindo a vegetação no Pantanal e também em áreas próximas às duas cidades. Nesta terça-feira (28) a paisagem nos dois municípios pantaneiros é bem diferente do que se é acostumado a ver. Com o Pantanal ao fundo, apenas um clarão da fumaça, que fez com que a paisagem ficasse "amarelada".

Conforme dados do Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais - LASA/UFRJ, já foram queimados 1.313.825 hectares no Pantanal de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. A maior área alagada do planeta está localizada entre os dois Estados, com a maior parte na cidade sul-mato-grossense de Corumbá.

Só na área que corresponde ao Pantanal de Mato Grosso do Sul, já foram consumidos pelas chamas 965.150 hectares. No Estado vizinho, a área queimada chega a 347.850 hectares. Em relação aos focos de calor, 52% registrados em 2021, foram somente no mês de setembro, apontam as informações do LASA/UFRJ.

Combates aos focos

O Ibama/Prevfogo deslocou uma aeronave para atuar na região Sul da Serra do Amolar, tendo como base a fazenda Santa Teresa, onde brigadistas atuam no controle das chamas, com apoio além da aeronave, do lançamento de água por meio do avião Air Tractor.

Outras frentes atuam ao Sul da Serra do Amolar, próximo as regiões do Jatobazinho, Bracinho e Paraguai Mirim. Outro foco surgiu ao Norte do Rabicho, que fica a leste das áreas urbanas das duas cidades pantaneiras.

Já o Corpo de Bombeiros Militar enviou equipes para combater focos em Porto Esperança e na morraria do Urucum e de Santa Cruz. 

Divulgação/Prevfogo

Brigadistas do Prevfogo no combate às chamas

O vento segue soprando norte trazendo fumaça e fuligem dos incêndios para as cidades, destacou o analista de sistema do Ibama/Prevfogo em MS, Alexandre Pereira.

Nas últimas 48h, conforme dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Corumbá registrou 178 focos de queimadas. A cidade pantaneira tem mais da metade dos focos registrados em todo o Mato Grosso do Sul neste mesmo período de tempo: foram 222 registros.

PUBLICIDADE