PUBLICIDADE

PF deflagra operação contra travessia ilegal de haitianos na fronteira de Corumbá com a Bolívia

Leonardo Cabral em 31 de Agosto de 2021

Divulgação/Polícia Federal

Cidadãos haitianos são principais alvos dos investigados pela PF

Despachantes de viagens e empresários do ramo em Corumbá e também de Mato Grosso do Sul, foram alvos de operação “FO M’ALE”, deflagrada pela Polícia Federal, nesta terça-feira, 31 de agosto. Foram cumpridos um mandado de prisão e quatro de busca e apreensão, todos expedidos pela 1ª Vara Federal de Corumbá.

A ação visa combater crimes de migração ilegal, a maioria cidadãos haitianos, em travessia por trilha clandestina entre Corumbá e a Bolívia. O Diário Corumbaense apurou que o homem preso, de 30 anos, atuaria como "coiote". Entre as apreensões está um veículo pertencente ao detido. Três haitianos também foram levados para a delegacia para prestar depoimento.

A PF recebeu denúncias de um esquema que estaria facilitando, mediante pagamento em dinheiro, a migração ilegal de cidadãos haitianos pela fronteira. Conforme as investigações, o grupo criminoso explorava um esquema de travessia pelo local conhecido como “Trilha do Gaúcho”, na divisa do Brasil com a Bolívia.

Como agiam

Divilgação/Polícia Federal

Nos períodos da manhã e noite estes despachantes buscavam meios de atravessar para a Bolívia os haitianos, entre eles diversas crianças e mulheres grávidas, sempre exigindo vantagem econômica.

Já dentro da trilha, os estrangeiros eram auxiliados por “carregadores” de nacionalidade boliviana, que tinham a função de mostrar o percurso correto até o território do país vizinho, além de prestar apoio no transporte das malas dos haitianos.

No decorrer dos trabalhos investigativos, que duraram alguns meses, observou-se a saída de cerca de 150  haitianos a cada dia, através desta trilha. Ou seja, Corumbá, que antes era "porta" de entrada, agora é porta de saída para os estrangeiros.

Divulgação/Polícia Federal

Dinheiro apreendido pagava os "serviços" contratados pelos estrangeiros

Os investigados poderão responder pelos crimes de promoção de migração ilegal e organização criminosa (art. 223-A e art. 288, ambos do CPB), conforme aprofundamento dos trabalhos investigativos.

FO M’ALE

A operação se chama FO M’ALE em alusão a uma expressão em idioma Creole, falado no Haiti. Esta expressão significa “preciso ir embora” em tradução livre, e mostra a vontade destas pessoas em deixarem o país em busca de novas oportunidades em países como Chile, México e Estados Unidos.

A Delegacia da Polícia Federal em Corumbá, mantém canal de denúncias anônimas através do e-mail uip.cra.ms@pf.gov.br e do telefone (67) 99131-9355. Caso saiba de informações sobre este ou outros casos de competência da PF entre em contato.

PUBLICIDADE