PUBLICIDADE

No último semestre de 2020, PRF apreendeu 2,3 mil kg de drogas e recuperou 63 veículos

Leonardo Cabral em 08 de Janeiro de 2021

Divulgação/PRF

A maior apreensão de droga feita pela PRF na região no semestre passado

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 2.372 quilos de drogas na região do Pantanal nos últimos seis meses de 2020. É o que informa o balanço referente ao período de 1° de julho a 31 de dezembro, informado ao Diário Corumbaense. Ao todo, 21 pessoas foram presas pelo crime de tráfico de drogas.

Com quase 2 mil quilos, a maconha foi a droga mais apreendida pelos agentes rodoviários. Conforme a PRF, foram 1.874 kg apreendidos na área de Corumbá e Ladário. Em relação à cocaína, foram 473 quilos apreendidos no período. Ainda houve a apreensão de 25 kg de skunk (droga conhecida como supermaconha).

Entre as maiores apreensões está a ocorrida em julho, quando a PRF flagrou um rapaz de 21 anos, com 1.384 kg de maconha e 15 quilos de skunk, numa caminhonete, em Anastácio. Em agosto, os policiais rodoviários federais apreenderam 62,4 kg de cloridrato e 69,2 kg  de pasta base de cocaína, totalizando 131,6 quilos de drogas. Nesta apreensão, dois homens - de 21 e 27 anos -foram presos e levados para a Delegacia da Polícia Federal em Corumbá.

Além do tráfico de drogas, o que continua chamando a atenção da PRF são os crimes de receptação e roubo/furto de veículos de outras cidades e estados. Os golpistas, na maioria dos casos, alugam os veículos com intuito de negociá-los por droga ou dinheiro na Bolívia. Um crime que já virou rotina, mas que vem sendo combatido pela PRF, tanto na BR-262 como na rodovia Ramão Gomes, onde está localizada a Delegacia da corporação, próximo da fronteira de Corumbá com a Província de German Busch.

Diário Corumbaense

Carros apreendidos com registro de roubo/furto em julho, seriam levados para a Bolívia

Só no último semestre de 2020, 63 veículos foram recuperados, boa parte com adulteração de chassi para tentar burlar a fiscalização nas estradas. Uma das maiores apreensões de carros aconteceu em julho, quando 12 pessoas, cinco mulheres (uma gestante) e sete homens, foram presos na ponte sobre o rio Paraguai, em Porto Morrinho, distante 70 quilômetros de Corumbá. Eles foram acusados pelos crimes de receptação e associação criminosa quando tentavam trazer seis carros para Corumbá.

Dos seis automóveis, três deles - um Fusion, um HB20 e um Argo - teriam como destino as cidades bolivianas na fronteira. Os veículos seriam levados por trilhas clandestinas, já que a fronteira entre os dois países estava fechada devido a pandemia do novo coronavírus. Os outros três carros (Corsa Classic, Ônix e Sandero) eram usados como batedores e retornariam à Campo Grande com os motoristas dos 3 carros que seriam “empurrados” para a Bolívia.

Além disso, crimes diversos e de trânsito resultaram na prisão de 21 pessoas. Em relação a contrabando e descaminho foram apreendidos 454.920 maços de cigarros.

Comentários:

Celio Silva: Se a justiça trabalhasse um terço do que as nossas polícias trabalham para combater o crime, o país estava melhor.

PUBLICIDADE