PUBLICIDADE

Motorista cai no golpe do falso frete, é mantido em cárcere e tem caminhão levado para a Bolívia

Leonardo Cabral em 04 de Dezembro de 2020

Homem de 59 anos, que trabalha como motorista de caminhão e faz fretes, foi mantido em cativeiro, nesta sexta-feira, 04 de dezembro, em Corumbá. Ele, que mora na cidade de Vicentina (MS), contou que foi contratado para fazer uma mudança e, logo que chegou à cidade, às 06h30 de hoje, foi rendido por três pessoas, dois homens e uma mulher, que teriam entre 35 e 50 anos.

A vítima disse que foi contratada por mensagem de WhatsApp. Um indivíduo, que se identificou como dono de restaurante em Corumbá, entrou em contato na semana passada, informando que precisaria do serviço dele, pois sua sogra se mudaria para Vicentina. Sem desconfiar, o homem aceitou fazer a mudança e combinou o preço de R$ 2.400. 

O combinado era que ao entrar na cidade, o contratante estaria esperando em um posto de combustíveis. Porém, ele não encontrou ninguém no local e então ligou para o suposto contratante, sendo informado que ele teria que ir até a parte alta da cidade, seguindo a localização via GPS, pois uma prima dele estaria à espera para indicar o endereço exato, no bairro Guatós.

Seguindo as orientações, o motorista chegou ao local e a suposta prima do contratante se apresentou na companhia de mais dois homens. Eles levaram a vítima até uma casa, onde foi rendida pelo trio, que já foi apontando uma pistola na direção de sua cabeça e mandando que se deitasse no chão. Logo em seguida, teve as mãos e os pés amarrados e o celular recolhido. 

Alguns minutos depois, o suposto contratante falou com o motorista pelo telefone do trio e perguntou se o veículo tinha rastreador, pois se acontecesse algum problema para atravessar o caminhão para a Bolívia, a família dele "teria problemas".   

O dono do caminhão relatou que permaneceu amarrado na casa até às 09h30, quando um dos autores disse que o veículo já havia sido atravessado para o país vizinho e que ele seria ser liberado, mas teria que permanecer no imóvel pelo tempo de 30 minutos e depois poderia sair.

O motorista esperou e ao sair, buscou ajuda em uma residência ao lado, ligando para familiares e em seguida foi para o Distrito Policial, onde revelou que é capaz de reconhecer os acusados, já que eles permaneceram o tempo todo sem máscaras e com os rostos descobertos.

O que levou o caminhão foi descrito como de estatura média, com cerca de 1,60 de altura, magro e vestia short e camiseta. O segundo indivíduo, que estava com arma de fogo, tem aproximadamente 1,70 de estatura, é forte, moreno e também e usava short e camiseta azul. A mulher, ele acredita que tenha entre quarenta e cinco e cinquenta anos, é magra, usava calça e blusa e o cabelo estava amarrado para trás. Havia um quarto indivíduo, que levou a corda para amarrá-lo.

O caso relatado pela vítima, foi registrado como roubo majorado pela restrição de liberdade da vítima, por meio do boletim de ocorrência 4366/2020 o qual o Diário Corumbaense teve acesso. 

PUBLICIDADE