PUBLICIDADE

Ministério da Justiça envia mais 71 bombeiros de Brasília para reforçar combate ao fogo no Pantanal

Leonardo Cabral em 09 de Outubro de 2020

Divulgação/3ºGBM

Queimadas seguem no Pantanal e mais equipes se deslocam para Corumbá

Corumbá ganha mais reforço de militares, para o combate ao fogo que devasta boa parte da área do Pantanal de Mato Grosso do Sul. São 71 bombeiros militares mobilizados temporariamente do Distrito Federal e de Santa Catarina, conforme o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Eles irão reforçar o efetivo da Força Nacional que está atuando na região desde o dia 05 de outubro.

Os militares do Distrito Federal partem nesta sexta-feira (09) e os de Santa Catarina também estão em processo de mobilização e já se encontram no estado combatendo o fogo. Segundo o ministério, as despesas com o custeio das diárias ficarão a cargo do governo federal.

A vinda do reforço atende a portaria nº 556/2020, assinada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, e publicada segunda-feira (05) no Diário Oficial da União, a pedido do governador do estado, Reinaldo Azambuja. O envio do reforço é garantido pelo documento.

Eles atuarão na região por 30 dias, prazo que poderá ser prorrogado.

Incêndios 

A área devastada pelo fogo no bioma Pantanal aumenta a cada dia. De acordo com o relatório do Ibama Prevfogo, em Mato Grosso do Sul, o fogo já consumiu 1.817.000 hectares. Já no Mato Grosso, 2.160.000 hectares.

Em Corumbá, o fogo está concentrado na Serra do Amolar, Porto Esperança, Passo do Lontra e também em vegetação às margens da BR-262 e da Estrada Parque, que dá acesso ao pantanal sul-mato-grossense. 

Divulgação/3ºGBM

Fogo na Serra do Amolar é de grande intensidade e equipes estão concentradas no local

Para ajudar a conter as chamas, uma Base de Operações na Serra do Amolar foi montada. No local, há concentração de equipes e aeronaves para otimizar o transporte de material e pessoal às regiões mais afetadas pelas queimadas que seguem no Pantanal de Corumbá.

As ações contam, desde o início da última semana, com mais de 150 combatentes em solo, entre fuzileiros navais, bombeiros militares e brigadistas do Ibama, nas regiões da rodovia BR-262, Serra do Amolar, Jatobazinho, Serra Negra entre outras.

A Operação de combate às queimadas no Pantanal foi deflagrada pelo Ministério da Defesa em 25 de julho. O baixo nível dos rios, a ausência de cheia no bioma no último ano, o acúmulo de material combustível e a vegetação extremamente seca, no entanto, favorecem o surgimento novos focos de incêndios.

PUBLICIDADE