PUBLICIDADE

Número de infectados pela covid-19 passa de 19,6 mil em MS; já são 266 mortes

Rosana Nunes em 23 de Julho de 2020

Depois de bater recorde de casos de covid-19 em 24h (1.503), Mato Grosso do Sul registrou nesta quinta-feira (23), mais 782 notificações positivas da doença, subindo os casos para 19.671. São mais nove óbitos, dois em Campo Grande, e uma morte cada em Nova Andradina, Aquidauana, Rio Verde, Rio Brilhante, Corumbá (caso do dia 21/07), Terenos e Iguatemi. São 266 mortes registradas no estado.

Os dados do boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, desta quinta-feira (22), informam que dos 19.671 casos confirmados, 6.506 estão em isolamento domiciliar, 12.513 estão sem sintomas e recuperados; 386 pessoas estão internadas e cinco pacientes internados são procedentes de fora do Estado.

Desde o dia 25 de janeiro, foram registrados 95.312 casos suspeitos de coronavírus em Mato Grosso do Sul. Destes, 69.875 foram descartados após os exames darem negativo para covid-19; 1.836 exames aguardam resultado do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) e 3.930 casos foram notificados e ainda não encerrados pelos municípios. 

Corumbá e Ladário 

Reprodução

Corumbá teve mais 35 casos confirmados de covid-19 nas últimas 24h

O boletim estadual traz mais 35 casos confirmados de covid-19 em Corumbá nas últimas 24h, subindo para 877 o número de notificações. A cidade já registrou 24 óbitos em consequência da doença. 

Pelo levantamento estadual, Corumbá é a terceira cidade com maior número de casos da covid-19. Campo Grande lidera com 7.680 confirmações; depois vêm Dourados, com 3.984; Corumbá, 877; Três Lagoas, 560; Rio Brilhante, 514;  Bataguassu, 490; São Gabriel do Oeste, 402; Chapadão do Sul, 301; Naviraí, também 301 e Fátima do Sul, com 272 casos positivos. 

Ladário teve mais quatro notificações positivas e agora soma 153 casos de covid-19, de acordo com o boletim do Estado. 

Ocupação de leitos 

Em relação à ocupação de leitos, dos 22 leitos de UTI da Santa Casa de Corumbá, hoje, 36% estão ocupados por pacientes com covid; 5% por pacientes com suspeita da doença e 27% por pacientes sem coronavírus, totalizando taxa de 68% de ocupação. 

PUBLICIDADE