PUBLICIDADE

Inverno terá pouca chance de geada e máxima de 35ºC em MS, diz meteorologista

Campo Grande News em 16 de Junho de 2020

A estação mais fria do ano chega a Mato Grosso do Sul às 17h44 do próximo sábado e só vai embora às 09h31 no dia 22 de setembro. Mas, quem esperava temperaturas baixas, daquelas de tremer o queixo, pode manter os cobertores mais pesados guardados. Neste ano, há poucas chances de gear no Estado e a partir de agosto máximas passam dos 35ºC.

Conforme o prognóstico para o inverno, divulgado nesta terça-feira (16) pelo meteorologista Natálio Abrahão, sem a influência dos fenômenos El Niño e La Niña, “as portas para as ondas de frio frequentes e mais fortes devem ocorrer no sul do Brasil sem chegar ao Mato Grosso do Sul”. “Só o extremo sul do estado deve ter episódios mais fortes de temperaturas baixas”, completa a previsão com as palavras do climatologista Luís Carlos Molion.

O sul-mato-grossense enfrentou em 2013 o último inverno mais rigoroso, mas as temperaturas de 2,4ºC negativos em Rio Brilhante e 2,5ºC negativos em Bela Vista registradas naquele ano, segundo Natálio, estão “fora de cogitação”.

Se gear, será nas cidades do sul de Mato Grosso do Sul, no começo da segunda semana de julho, quando a massa de ar polar mais forte agirá no Estado. De acordo com o meteorologista da Uniderp, há “chances de temperaturas abaixo dos 5ºC e ocorrência de geadas no centro-sul do Estado, entre Dourados, Rio Brilhante, Maracaju, Ponta Porã seguindo ao extremo sul”.

Para as demais regiões, a previsão, durante os períodos mais frios, é que as mínimas fiquem entre 5ºC e 6ºC.

Em agosto e setembro, “a tendência das temperaturas subirem bastante junto com a falta de chuva”, prevê Natálio. “Valores de 35ºC nas regiões norte e nordeste e de 32ºC a 33ºC em Campo Grande devem se repetir diariamente. Já no sul e oeste do Estado esperam-se valores acima dos 35ºC com umidade do ar abaixo dos 20%”.

Umidade

Caraterística do inverno são os longos períodos de estiagem, por isso, a meteorologia alerta para as baixas umidades relativas do ar. “Em todas as regiões deve persistir a umidade relativa média máxima próxima dos 65% pela manhã e mínimas à tarde em torno dos 30%. As mínimas devem cair acentuadamente à tarde chegando ao fim de agosto aos valores próximos aos 20%”. 

PUBLICIDADE