PUBLICIDADE

Fronteira segue fechada e estradas vicinais recebem fiscalização em Corumbá

Leonardo Cabral em 31 de Março de 2020

Divulgação

Exército auxiliando na fiscalização das estradas vicinais na linha de fronteira

A fronteira entre o Brasil e a Bolívia permanece fechada. A medida, dos dois governos federais, tem como principal objetivo a prevenção e combate ao novo coronavírus na região fronteiriça, que até o momento, não registrou nenhum caso confirmado em Corumbá, do lado brasileiro, e também nas cidades de Puerto Suárez e Puerto Quijarro, do lado boliviano.

Do lado de Corumbá, os responsáveis pela fiscalização e controle migratório são militares do Exército Brasileiro, Polícias Federal e Militar, que também contam com o apoio de agentes da Força Nacional de Segurança e da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O Exército intensifica o controle durante o dia, nas estradas vicinais, como a estrada do Jacadigo, na área rural, que fica na linha de fronteira entre os dois países. De acordo com o Exército, estrangeiros que são flagrados transitando nessa área, são orientados a retornarem ao país de origem. Além disso, na madrugada, os militares seguem com o controle no Posto Esdras, da Receita Federal.

Na parte da manhã, quem fica com a responsabilidade do controle migratório são os agentes da PF, junto com os da Foça Nacional e policiais militares. Apenas é permitida a passagem de caminhões do transporte de cargas entre os dois países, bem como questões humanitárias que envolvam situação de saúde.

Divulgação

Militares do Exército no Posto Esdras durante a madrugada

Apurado pelo Diário Corumbaense, junto a Receita Federal, os caminhões carregados com mercadorias, grande parte de alimentos para abastecimento no Brasil e na Bolívia, estão com o tráfego na fronteira restringida. Ou seja, os motoristas conseguem cruzar o limite territorial até às 14h. Depois do horário, apenas a passagem de caminhões vazios é permitida de ambos os lados.

Do lado da Bolívia, que determinou primeiro o fechamento da  fronteira há 12 dias, ainda segue a equipe médica, no Posto Fronteirizo, onde realiza os procedimentos preventivos ao coronavírus.

Todos que cruzam essa área são obrigados ao controle, lembrando que do lado do país andino, a população segue quarentena geral, após o governo decretar estado de Emergência Sanitária. Só é permitida a circulação de pessoas nas ruas para irem às compras em supermercados e farmácias, seguindo os números da carteira de identidade, conforme o dia da semana. Aos sábados e domingos, todos têm que ficar dentro de casa.

Ao todo, a Bolívia tem 107 casos confirmados do novo coronavírus. O país registrou a sétima morte, nesta terça-feira, 31 de março, sendo que quatro dos óbitos foram em Santa Cruz de La Sierra, que concentra 55% dos casos da Bolívia.

PUBLICIDADE