PUBLICIDADE

Batalhão de Fronteira tem novo comandante em Corumbá

Leonardo Cabral em 10 de Janeiro de 2020

Acontece às 19h30, desta sexta-feira, 10 de janeiro, a cerimônia cívico-militar de transmissão de comando do 17° Batalhão de Fronteira. O tenente-coronel de Infantaria Rodrigo Cozendey Pires será empossado como novo comandante, substituindo o coronel de Infantaria, Vicente de Paulo Mattos Júnior. Antes, às 19h, haverá cerimônia para a inauguração do retrato do Coronel Mattos, no Salão de Honra do 17° BFron.

A passagem de comando será realizada no pátio de formatura e contará com a presença de autoridades civis e militares da região.

Novo comandante

O tenente-coronel Rodrigo Cozendey Pires é oriundo de missão no exterior – Coréia do Sul. Foi promovido ao posto atual em 30 de abril de 2017. Foi declarado aspirante a oficial da arma de infantaria e cursou a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO) em 2005 e a Escola de Comando e Estado-Maior (ECEME) em 2014.

17° Batalhão

As origens do 17º Batalhão de Fonteira remontam a 14 de maio de 1842, data da criação do Corpo Provisório de Caçadores de Minas Gerais na cidade de Ouro Preto. Iniciada a Guerra da Tríplice Aliança, a fusão do Corpo Provisório de Minas Gerais com o de São Paulo, em 28 de julho de 1865, ativou o 21 BC que teria destacada atuação como integrante da Coluna Expedicionária de Mato Grosso sob o comando do Coronel Camisão.

Em 21 de abril de 1867, o 21 BC transpõe o rio Apa penetrando território paraguaio. Foi marcante o desempenho nos combates de Laguna, Bela Vista e Machorra.

Ainda no decurso da guerra, em 22 de fevereiro de 1870, o 21 BC aporta em Corumbá para vigiar a calha do rio Paraguai até o Forte Coimbra, onde permanece desde então.

De 1908 a 1914 construiu-se o atual quartel com parte do material vindo da Europa, particularmente as telhas.

A partir de 1920 passa a denominar-se 17º BC, mantendo a tradição do Corpo de Caçadores e lendário 21 BC. Somente em 1994, após cerca de 74 anos recebeu a atual denominação. Isso explica porque pessoas da comunidade ainda o chamam carinhosamente “17 BC”. Em 1987 recebeu também a denominação histórica de “Batalhão Antônio Maria Coelho”, em homenagem ao Herói da Retomada de Corumbá durante a Campanha do Paraguai, um dos mais empolgantes feitos de armas de que se pode orgulhar o Exército Brasileiro.

Atualmente o 17º BFron foi designado pela Portaria Ministerial Nr 423, de 16 de junho de 1997 como Unidade de Emprego Peculiar (UEP), especialmente apta a atuar no ambiente do Pantanal e com a missão de conduzir os Estágios de Operações no Pantanal (EOPan), destinados a oficiais e sargentos da área do CMO.

Com informações da assessoria de imprensa do Exército. 

Anderson Gallo/Arquivo Diário Corumbaense

Quartel do 17º Batalhão de Fronteira em Corumbá

PUBLICIDADE