PUBLICIDADE

Cine Sesc Corumbá exibe drama, mistério e produção sul-mato-grossense em agosto

Da Redação em 30 de Julho de 2019

O Cine Sesc Corumbá de agosto apresenta os filmes da etapa nacional da II Mostra Sesc de Cinema, destacando o que há de melhor no cinema nacional contemporâneo. Entre longas e curtas-metragens, destacando a região Centro-Oeste, será exibida a produção sul-mato-grossense “Elogio da Sombra”, nos dias 06 e 10. As exibições são gratuitas e acontecem todas as terças às 19 horas e aos sábados às 15 horas. 

Abrindo a programação, no dia 03 de agosto, será exibido, “O Sol Nasceu Para Todos” (2016). Dirigido por Alan Mano K (DF), o filme conta a história da Sol Nascente, em Ceilândia, considerada a maior favela da América Latina. Através do olhar dos personagens apresenta uma comunidade positiva sem deixar de mostrar suas dificuldades, mas, sobretudo, mostra que as periferias não podem ser vistas apenas como lugar da transgressão, como também lugar de resistência, solidariedade e da preservação cultural.

No dia 06, com reprise no dia 10 de agosto, serão exibidos quatro filmes, entre eles, a produção sul-mato-grossense “Elogio da Sombra” (2016). O curta-metragem, dirigido por Joel Pizzini, traz a misteriosa história de uma dançarina que se move serenamente dentro de um velho casarão japonês. Ela evoca o fantasma do mestre da dança butô enquanto se envolve com as sombras e as memórias do lugar misterioso. Na sequência será exibido “Aquele Disco da Gal” (2017) de Juliana Curvo e Diego Baraldi (MT). O curta apresenta a história da convivência entre Henrique e Nathalia, pai e filha, que ficam juntos no apartamento da família depois que a mãe, Mariana, decide sair de casa para morar com Bia, com quem já mantinha uma relação amorosa há algum tempo.

A sessão contará ainda com o filme “Vesti La Giubba” (2016) de Johil Carvalho (DF). Livremente inspirado na ópera Pagliacci, de Ruggero Leoncavallo, a curta fantasia sobre a vida do personagem Canio, anos após os trágicos eventos narrados naquela obra clássica. Finalizando a sessão será exibido “A Piscina de Caíque” (2016) de Raphael Gustavo da Silva. Sonhando em ter uma piscina, Caíque e seu amigo inseparável se divertem escorregando no chão molhado e ensaboado da área de serviço. Por causa do desperdício de água, Caíque acaba tendo problemas com a mãe.

A partir do dia 13, serão exibidos os filmes da região Sudeste. Às 19 horas o Cine Sesc exibe “Baronesa” (2017), de Juliana Antunes (MG). Andreia quer se mudar. Leid espera pelo marido preso. Vizinhas em um bairro na periferia de Belo Horizonte, elas tentam se desviar dos perigos de uma guerra do tráfico e evitar as tragédias trazidas junto com as chuvas. Haverá nova exibição do longa no dia 17 às 15 horas.

No dia 20 de agosto, com reprise no dia 24, o filme “Escolas em Luta” (2017), dos diretores Eduardo Consonni, Rodrigo T. Marques e Tiago Tambelli, apresenta os protestos de estudantes contra o fechamento de escolas públicas. No estado mais rico e um dos mais conservadores do Brasil, o modus operandi da educação pública sofre um revés quando estudantes secundaristas reagem ao decreto oficial que determina o fechamento de 94 escolas e a realocação dos alunos. Em poucos dias, por meio de redes sociais e aplicativos, eles organizam uma reação em uma verdadeira Primavera Secundarista – algo completamente inédito. Ocupam 241 escolas e saem às ruas para protestar. O estado decreta guerra aos estudantes. Toda relação se transforma após uma revolução.

Nos dias 27 e 31, a II Mostra Sesc de Cinema traz ao Cine Sesc quatro produções de renomados diretores dos estados de São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais. Abrindo a sessão será exibido “A Gis” (2016), documentário dirigido por Thiago Carvalhaes que retrata a história de Gisberta Salce, uma mulher transexual brasileira que vivia como imigrante em Portugal. Foi brutalmente assassinada há 10 anos e desde então se tornou símbolo da luta pelos direitos transexuais. Na sequência o curta “Entremundo” (2015) dos diretores Thiago. B. Mendonça e Renata Jardim, que retrata um dia no bairro mais desigual de São Paulo.

A sessão contará ainda com o filme “Labor” (2017), de Thiago Moulin. Dividido entre a paixão pela música e a atuação à frente de uma fábrica familiar centenária, Fábio trabalha duro enquanto projeta seus olhos numa espécie de mundo paralelo. Finalizando a sessão será exibido “Lençol de Inverno” (2017), do diretor Bruno Rubim. José é coveiro na cidade grande. Quando seu irmão, com quem não fala há anos, o chama de volta a sua cidade natal para enterrar o pai, José precisa revisitar fantasmas da juventude e fazer escolhas que podem significar o fim de sua jornada e o começo de uma redenção.

Serviço – O Sesc Corumbá fica na rua 13 de junho, 1703 – Centro. Informações pelo telefone (67) 3232-3130. Acompanhe a programação do Sesc no site sesc.ms. Com assessoria de imprensa. 

PUBLICIDADE