PUBLICIDADE

Turista é detido com pescado abaixo da medida e carne de animal silvestre

Leonardo Cabral em 21 de Julho de 2019

Divulgação/PMA

Turistas estavam retornando de pescaria no Pantanal quando PMA flagrou irregularidades

Mineiro de 64 anos, que seguia com um grupo de 12 turistas, em um ônibus com placas de Tupaciguara (MG), foi flagrado em Anastácio, com pescado abaixo da medida permitida e carne de animal silvestre, que estavam armazenados em uma caixa térmica dentro do transporte utilizado para a viagem. O flagrante foi no  sábado, 20 de julho, durante a volta dos visitantes, em barreira na BR-262, da Polícia Militar Ambiental do Grupamento de Taquarussu.

Durante a fiscalização, os policiais militares ambientais encontraram na caixa 6 quilos de pescado, sendo quase todos os exemplares abaixo da medida permitida. Um pacu, por exemplo, media 32 centímetros, sendo o tamanho mínimo de captura de 45 centímetros para a espécie; quatro exemplares de piavuçu, mediam 34, 35 e 36 centímetros e um exemplar de curimbatá, 36 centímetros, sendo o tamanho mínimo de captura de 38 centímetros para as espécies. Também havia 11 exemplares de piranhas e 12 kg de carne de animal silvestre.

Questionado, o turista, residente em Tupaciguara (MG), assumiu ter capturado o pescado ilegal e ganhado a carne de porco do mato da espécie cateto ou queixada em um pesqueiro.

Ele foi detido e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Anastácio, onde foi autuado por crimes ambientais de transporte de produtos da caça ilegal e da pesca predatória. A pena relativa à carne de animal silvestre é de seis meses a um ano de detenção e pelo transporte do pescado ilegal é de um a três anos de detenção.

O infrator ainda foi multado em R$ 1.620,00. Os demais turistas estavam com pescado capturado e transportado legalmente e tiveram seus peixes vistoriados e lacrados para o transporte até cidade de origem, em Minas Gerais. 

PUBLICIDADE