PUBLICIDADE

Em depoimento, piloto diz que resgatou membro de facção no Paraguai

Campo Grande News em 20 de Junho de 2019

Reprodução/Facebook

Edmur tem 78 anos e é piloto em Paranaíba

Após reaparecer em aeroporto de Cáceres (MT), o piloto Edmur Guinara Bernardes, de 78 anos, foi ouvido pela Polícia e contou uma história digna de roteiro de cinema sobre as mais de 30 horas que ficou desaparecido, depois de decolar em Paranaíba.

Segundo documento da Policia Federal de Cáceres, no dia 18 de junho, última terça-feira, ele estava saindo de casa, quando foi surpreendido por duas pessoas, “ordenando que entrasse”. Lá dentro, a dupla teria dito que faz parte de uma facção criminosa, “falando que sabiam que ele tinha as chaves do hangar e que precisavam de um avião que tinha pousado na noite anterior”, em Paranaíba.

Edmur diz que acompanhou os dois homens em uma camionete, abriu o hangar e por volta das 06h30 decolou com destino à fazenda no Paraguai, sem indicar a localização exata. Lá, o piloto garante que permaneceu “o dia e a noite”.

Começa aí o trecho mais cinematográfico da história. Na propriedade paraguaia, Edmur conta ter sido informado que teria de resgatar um outro membro da facção, comparsa dos sequestradores. Na manhã do dia seguinte, por volta de 06h20 de quarta-feira, ele e os 3 homens deixaram a fazenda no Paraguai e seguiram para a Bolívia, também sem indicar em qual localidade.

Na versão do piloto, ontem, por volta das 14h30, ele “aproveitou uma distração dos suspeitos, e conseguiu dar partida no avião e pousar às 17h15, em Cáceres”. Edmur e a aeronave, modelo Cessna 182, devem chegar no começo da tarde em Paranaíba.

PUBLICIDADE