PUBLICIDADE

Artista que começou pelo grafite, agora se dedica à pintura em tela com temas do Pantanal

Leonardo Cabral em 07 de Abril de 2019

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Durante toda a entrevista, Rude segurava retrato de seu maior inspirador: Jorapímo.

Do grafite à pintura em tela. Assim, Rodney de Oliveira Santos, 26 anos, mais conhecido como “Rude” no mundo da arte pantaneira, descobriu a sua paixão e passou a retratar as principais paisagens de Corumbá. O gosto pelos desenhos começou ainda na infância. Foi a partir daí, que Rude tomou conhecimento o que de fato, o faria ser conhecido.

Pouco a pouco, os desenhos tomavam formato na ponta de lápis e papel branco até chegar em 2010 com a arte do grafite. Porém, foi em 2016, que o gosto pela pintura em tela, foi ganhando espaço e interesse de Rude, que hoje, se prepara para mais um passo a ser dado, que é a sua primeira exposição.

“Vivo para pintar. Comecei ainda criança com desenhos e, depois, quando comecei a andar de skate, conheci um grupo de grafite e logo fui ganhando gosto e percebendo que realmente era isso que queria”, falou o artista.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Amor pela pintura começou ainda pequeno, quando, Rude dava seus primeiros "sinais" com um lápis em mãos

Ele contou ao Diário Corumbaense que logo em seguida foi apresentado à pintura em tela. Uma novidade que foi ganhando gosto e, com o tempo, a paixão pelas formas de trabalho foi ganhando espaço, sendo elas, retratadas pelas imagens da região pantaneira.

E todo esse interesse pelo Pantanal, o artista diz que nasceu através da sensibilidade das obras do artista já falecido, José Ramão Pinto de Moraes, o Jorapimo.

“É daí que posso afirmar que sai minha inspiração por meio dos pincéis que vão ganhando os traços até uma imagem que represente nosso Pantanal. É uma satisfação. Pra mim, a pintura é amor”, destacou o Rude, que durante toda a entrevista segurava em suas mãos um retrato pintado à lápis do inspirador.

Exposição

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Obras do artista retratam o Pantanal

Rude, que divide sua paixão pela arte com a faculdade de artes visuais, ainda não tem local, mas a exposição com suas obras que retratam o Pantanal de Corumbá vai acontecer ainda este ano.

“Tenho muitos trabalhos em telas e quero promover essa exposição. Tudo que vejo vira arte”, destacou o artista.

PUBLICIDADE