PUBLICIDADE

Juiz mantém prisão de homem que matou professora com 36 facadas

Rosana Nunes em 11 de Março de 2019

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Polícia Militar cuidou da escola do homicida até o Fórum de Corumbá

Já está no Estabelecimento Penal Masculino de Corumbá, Edevaldo Costa Leite, de 31 anos, acusado de matar com trinta e seis golpes de faca a professora Nádia Sol Neves, de 38 anos, por não aceitar a separação. Ele se apresentou à Polícia Civil depois do crime, ocorrido na manhã de domingo (10), na Alameda Adelina, bairro Universitário, dia do aniversário da vítima. “A apresentação por si só não é capaz de impedir a prisão. Não pode ser usada como uma forma de burlar a lei”, explicou o delegado plantonista Fernando Araújo da Cruz Júnior, que o autuou em flagrante por feminicídio, crime hediondo com pena que varia de 12 a 30 anos de prisão.

“Existem testemunhas que viram toda a ação, ele também confessou o crime. Alegou que na madrugada encontrou a vítima num pagode junto com duas amigas e mais um rapaz, que tentou conversar com ela, sem sucesso. Já pela manhã, ele foi até a casa dela, o carro estava lá e perguntou para algumas pessoas sobre a proprietária. Disseram que ela havia estacionado o veículo e saído em outro carro com um rapaz que tinha as mesmas características da pessoa que ele havia visto no pagode. Ele esperou pela vítima, houve uma discussão. Foi quando ele pegou uma faca que estava no batente da janela e desferiu diversos golpes. Foram 36 facadas contabilizadas pelo médico legista”, contou o delegado plantonista.

Reprodução/Facebook

Professora Nádia foi morta com 36 facadas; Edevaldo a perseguia por não aceitar a separação

Os golpes atingiram as costas, tórax, rosto e braços de Nádia. Testemunhas ainda disseram que viram o homem arrastando a vítima pelos cabelos para a rua e logo acionaram a Polícia Militar. Os bombeiros também foram chamados, prestaram o atendimento emergencial e depois a removeram para o pronto-socorro. Em seguida, a professora foi encaminhada para o centro cirúrgico da Santa Casa de Corumbá, mas não resistiu.  

Na manhã desta segunda-feira (11), Edevaldo Costa Leite passou por audiência de custódia e a prisão dele foi mantida pelo juiz da Vara de Execuções Penais, André Luiz Monteiro. A audiência foi no Fórum da comarca sob forte esquema de segurança. Edevaldo ainda foi levado para o 1º Distrito Policial e em seguida ao presídio masculino, onde deu entrada pouco antes das 11h. 

O corpo da professora Nádia foi velado por algumas horas na noite de domingo em Corumbá, e depois levado para Campo Grande, onde a família dela mora, para o sepultamento. 


PUBLICIDADE